Açoriano Oriental
Presidenciais
PR desequilibrou negociação com privados na saúde “contra interesse público”

A candidata presidencial Ana Gomes acusou Marcelo Rebelo de Sousa de ter desequilibrado a negociação na saúde a favor dos privados “contra o interesse público”, dificultando um entendimento entre as partes.

PR desequilibrou negociação com privados na saúde “contra interesse público”

Autor: Lusa/AO Online

Numa visita ao centro de saúde Algueirão-Mem Martins (concelho de Sintra), que marcou o arranque da sua campanha no período oficial, a antiga eurodeputada socialista foi questionada se defende que o Governo já deveria ter avançado para a requisição civil na saúde de meios privados, sobretudo numa altura de agravamento da pandemia de covid-19.

“Suponho que o Governo está a tentar chegar a um entendimento e tem tido pressões nesse sentido, também da parte do próprio Presidente da República, que deu palco aos privados, enfraquecendo o Governo e a ministra da Saúde, quando ela precisava de ser reforçada para poder negociar o entendimento com os privados para defender o interesse público”, afirmou.

Ana Gomes considerou que não será qualquer “enviesamento ideológico” que está a atrasar esse acordo do lado do Governo.

“Há uma pressão que foi favorável aos privados por parte do Presidente da República e que desequilibrou a negociação contra o interesse publico. Espero que o Governo tendo tentado todas as alternativas, se necessário for recorra à requisição civil”, apelou.

A antiga dirigente socialista defendeu que, em momento de emergência, será necessário usar “toda a capacidade hospitalar instalada”, mas acusou os privados de apenas quererem acolher os doentes não-covid, “que são os que dão lucro”

“Se os privados continuarem a não querer, através de um entendimento que o Governo tem tentado, aceitar tratar todos os doentes, então o Governo deve fazer uso da requisição civil e pagar aos privados, mas a preço justo e não aos preços do lucro”, defendeu.

A candidata, que teve hoje a sua primeira ação presencial no período de campanha oficial depois de no domingo ter anulado todas as iniciativas previstas, escolheu o centro de saúde Algueirão-Mem Martins - ainda em obras e com inauguração prevista para 25 de abril - para esse arranque.

“É um grande projeto da vereação socialista [Ana Gomes foi candidata autárquica derrotada em Sintra em 2009], finalmente concretiza-se para servir uma população de cerca de 70 mil pessoas, na maior freguesia do país, Algueirão Mem-Martins”, explicou.

Para a candidata, esta unidade terá a vantagem de juntar cuidados primários e cuidados integrados e permitirá tratar pessoas que têm “alta hospitalar e precisam de continuar a ter cuidados médicos”.

“É um exemplo do que o país precisa: a boa articulação entre a rede hospitalar, a rede de cuidados primários e de cuidados integrados”, afirmou.

Já no dia 18 de janeiro, será inaugurada no local uma unidade de cuidados respiratórios que permitirá dar resposta a alguns doentes com covid-19, de acordo com um vereador presente.

A visita ao local das obras decorreu com menos de vinte pessoas, sendo a grande maioria jornalistas, com a candidata sempre de máscara, incluindo quando fez declarações à comunicação social.

A outra iniciativa de campanha prevista para hoje, também na área da saúde, será ao final da tarde, mas através das plataformas digitais para debater com estudantes de Medicina.


PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.