Açoriano Oriental
Açores/Eleições
PPM quer manutenção da conserveira Santa Catarina na esfera pública

O líder do PPM nos Açores, Paulo Estêvão, candidato às regionais pelo Corvo, considerou que a conserveira Santa Catarina, na Calheta, em São Jorge, deve continuar na esfera pública na atual conjuntura económica.

PPM quer manutenção da conserveira Santa Catarina na esfera pública

Autor: Lusa/AO Online

Paulo Estêvão, atualmente deputado regional eleito pela ilha do Corvo, por onde volta a concorrer, esteve hoje de manhã no início de uma visita à Santa Catarina – Indústria Conserveira, acompanhado pelo cabeça de lista do partido pelo círculo de São Jorge, Valdemar Furtado, e o líder nacional, Gonçalo da Câmara Pereira.

O PPM concorre às eleições para o parlamento açoriano, que decorrem em 25 de outubro, em todos os círculos, sendo que no Corvo apresenta uma candidatura em coligação com o CDS-PP.

Em declarações à agência Lusa, Paulo Estêvão disse que a conserveira é uma das maiores empregadoras da ilha (tem 130 trabalhadores) e é muito importante para o desenvolvimento e para a economia de São Jorge.

“Valorizamos muito a capacidade e o que significa a Santa Catarina para a economia de São Jorge e, por isso, consideramos que esta é uma empresa estratégica para o desenvolvimento da ilha e deve manter-se na esfera pública, posição muito diferente em relação ao Governo Regional, que quer iniciar um caminho de privatização no âmbito da reformulação do setor público e empresarial regional”, destacou.

Para os monárquicos, “na atual conjuntura, em que as indústrias agroalimentares têm muita importância, em que existe uma enorme insegurança no mercado internacional para este género de empresas”, é estratégico a região manter a sua presença e a gestão da conserveira.

“Por outro lado, consideramos que este tipo de indústrias significam um produto de valor acrescentado. São estratégicas para o desenvolvimento da região e nestas indústrias devemos fazer um investimento, temos de desenvolver produtos de qualidade e com constante qualificação”, disse.

No que diz respeito aos trabalhadores da conserveira, Paulo Estêvão disse à Lusa ter a noção de que as infraestruturas não reúnem as melhores condições de trabalho.

“As pessoas que trabalham até três/10 ou 15 anos ficam com problemas físicos associados às infraestruturas e à forma como executam as suas tarefas na fábrica, que lhes provocam problemas físicos graves e, portanto, é necessário repensar as condições de trabalho”, disse.

O PPM considera urgentes a melhoria das infraestruturas e a renovação tecnológica da conserveira.

"É necessário repensar as condições de trabalho e reformular as infraestruturas para que os trabalhadores possam desempenhar as tarefas com outro grau de comodidade, o que não acontece agora", concluiu.

As legislativas dos Açores decorrem em 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.