PPM exige que o PS/Açores retire a confiança política a Roberto Silva

 PPM exige que o PS/Açores retire a confiança política a Roberto Silva

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   23 de Ago de 2018, 12:04

O PPM exige que o PS/Açores retire a confiança política ao presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico, Roberto Silva, no caso do mesmo não se retratar, publicamente, do comportamento homofóbico que protagonizou no exercício de funções públicas.



De acordo com comunicado, a Representação Parlamentar do PPM, na Assembleia Legislativa Regional, vai apresentar um voto de protesto a propósito do comportamento homofóbico protagonizado pelo presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico, em relação ao presidente da MiratecArts, Terry Costa.



“A divulgação pública do teor do email remetido pelo presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico, Roberto Silva, para os serviços municipais que tutela, no âmbito de uma solicitação que lhe fora remetida pelo presidente da MiratecArts, Terry Costa, prova, sem margem para dúvidas, que o mesmo utilizou um linguarejar profundamente homofóbico e que mandou ignorar e prejudicar uma iniciativa da sociedade civil com base no preconceito e na vingança política, uma vez que o texto também deixa claro que o autarca pretendeu castigar Terry Costa por um delito de opinião cometido em relação a um outro assunto”, diz o PPM no comunicado.


Segundo o partido monárquico, trata-se de uma forma de “agir muito grave, que tem de ter consequências no âmbito de um regime democrático. Este género de comportamentos intolerantes, discriminatórios e homofóbicos não podem passar em claro e sem consequências políticas relevantes. É a diferença que existe entre viver na 'Idade da Pedra Lascada' ou viver num sistema político democrático que não aceita a intolerância e o discurso do ódio e da discriminação. A resposta a este tipo de comportamentos tem de ser muito contundente da parte de todos os agentes democráticos”.


Para o PPM “não basta ao PS/Açores refugiar-se numa condenação política de âmbito meramente local. O PS/Açores e o seu presidente, Vasco Cordeiro, têm de exigir um pedido de desculpas imediato por parte do autarca que exerce funções políticas nas suas filas e em seu nome. Este não pode permanecer no silêncio cómodo de quem espera que a borrasca passe e o assunto caia no esquecimento. Tem de retratar-se ou ser obrigado a isso por parte do partido que o apoia e o sustenta politicamente”.


“O PS/Açores e Vasco Cordeiro têm de fazer algo mais que lavar as mãos neste assunto. Sem um pedido público de desculpas por parte de Roberto Silva, a Representação Parlamentar do PPM não vê que existam condições políticas para que o PS/Açores possa manter a confiança política no presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico. O Presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, tem também o dever de garantir que nunca mais um cidadão ou uma organização da sociedade civil será prejudicado, nesta Região, devido à sua orientação sexual ou às posições políticas e cívicas de carácter crítico que porventura tenham tomado em relação a este ou qualquer outro executivo municipal”, frisa o comunicado do PPM.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.