Comunicações

Portugueses vão cortar nas despesas de Internet e de chamadas telefónicas

Portugueses vão cortar nas despesas de Internet e de chamadas telefónicas

 

Lusa/AO online   Economia   23 de Nov de 2011, 11:40

As medidas de austeridade vão levar os portugueses a cortar "significativamente" nas despesas nos serviços de telecomunicações, como Internet de banda larga e chamadas telefónicas, revela um estudo da IBM 2011 Global Telecom Consumer Survey.
De acordo com o estudo, 39 por cento dos consumidores portugueses estão a planear diminuir os gastos com o uso do telemóvel (chamadas de voz, envio de mensagens escritas e de multimédia), e dois em cada cinco consumidores portugueses prevê cortar nas chamadas de rede fixa e 39 por cento na utilização da Internet de banda larga móvel.

Na Europa, só os gregos esperam conseguir poupar mais, com 61 por cento a responder que espera diminuir a despesa nas telecomunicações.

De acordo com a IBM, o estudo realizado à escala global, foi realizado a partir de questionários online a mais de 13.000 consumidores de 24 países, entre os quais os EUA, Brasil, China, Índia, Espanha, Alemanha, entre outros.

Em Portugal foram inquiridos 310 consumidores, o que representa 3 por cento da amostra global.

Quase um terço dos espanhóis (32 por cento) espera diminuir as despesas, enquanto na Itália 39 por cento dos consumidores admitiram o mesmo.

Pelo contrário, 31 por cento dos russos prevêem aumentar o consumo de telecomunicações, no Brasil a percentagem sobe para 37 por cento, no México ascende a 39 por cento e na Polónia dois em cada cinco consumidores estima aumentar o valor da factura de serviços de comunicação.

No universo deste estudo, a Coreia, Índia e China são as que lideram as intenções de aumento de despesas em telecomunicações.

Na Coreia, 53 por cento dos consumidores afirma intenção a aumentar as despesas, na Índia a percentagem desde um ponto percentual, enquanto na China metade dos consumidores prevê aumentar a factura.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.