Segurança marítima

Portugueses testam rede de vigilância europeia


 

Lusa / AO online   Nacional   12 de Nov de 2009, 11:04

Uma rede de partilha de dados de vigilância marítima à escala europeia, que vai ser testada em Portugal até Março, irá permitir identificar e seguir mais facilmente o percurso de um navio suspeito ou em apuros.
O sistema, para a Agência Europeia de Defesa, vai ser testado laboratorialmente em Lisboa, onde o grupo tecnológico internacional GMV, que venceu o concurso do projecto, tem um Centro de Excelência de Segurança do Transporte Marítimo.

Uma série de computadores simulando os 15 Estados-membros da Agência, incluindo Portugal, vai estar ligada a uma central que "recebe e transmite os dados" sobre o tráfego marítimo, explicou à Lusa o gestor do projecto, José Freitas.

Na prática, o projecto, com duração de cinco meses e com um custo de 450 mil euros, funcionará como o protótipo da futura Rede de Vigilância Marítima da Agência Europeia de Defesa, a implementar até 2015, recorrendo às tecnologias mais avançadas de detecção de navios, incluindo sistemas de monitorização de radar e de observação terrestre por satélite.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.