Segurança

Portugueses mais seguros com policiamento de proximidade

Portugueses mais seguros com policiamento de proximidade

 

Lusa/AOonline   Nacional   7 de Out de 2008, 11:43

O sentimento de segurança aumentou, mas é preciso melhorar a relação entre agentes e população, que acontece sobretudo por iniciativa dos cidadãos, concluiu um estudo sobre policiamento de proximidade apresentado esta terça-feira.
As pessoas sentiram-se genericamente mais seguras em 2007 do em 2006 e a sensação de insegurança provém maioritariamente dos "rumores" ouvidos na comunicação social, refere o estudo.

    De acordo com o mesmo documento, a população notou também uma maior presença de agentes nas ruas, mas quanto à relação com os efectivos da PSP os cidadãos sentem que acontece sobretudo por iniciativa sua.

    As conclusões foram apresentadas no Instituto Superior de Ciências Sociais e Segurança Interna, Lisboa, em resultado de um estudo realizado pela Universidade Nova de Lisboa sobre o Programa Integrado de Policiamento de Proximidade (PIPP) da Polícia de Segurança Pública.

    O estudo pretendeu aferir a evolução dos resultados do PIPP de 2006 para 2007.

    Num comentário aos resultados apresentados, o director nacional da PSP, Oliveira Pereira, disse que foram "atingidos os objectivos", tendo, no entanto, reconhecido que há falta de efectivos na PSP" e que é muitas vezes necessário racionalizar os meios", porque a aposta no policiamento de proximidade retira agentes às esquadras.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.