Justiça

Portugal tem "uma justiça para ricos e outra para pobres"

Portugal tem "uma justiça para ricos e outra para pobres"

 

Lusa/AO online   Nacional   19 de Nov de 2010, 10:15

O Bastonário da Ordem dos Advogados disse na quinta-feira que em Portugal há “duas justiças, uma para ricos e outra para pobres”, frisando que “não se pode confiar” num sistema que transmite para a sociedade esta “duplicidade”.
Marinho Pinto falou num debate sobre o tema “Contextualizar a Pobreza no âmbito do Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social”, integrado na Semana Social, organizada pela Câmara Municipal de Gondomar e relacionada com o Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social.

O bastonário referiu que as cadeias portuguesas estão cheias de pessoas sem meios financeiros para contratar advogados, ao passo que “o assalto a um banco de mais de quatro mil milhões de euros, que foi aquilo que o Estado já lá teve de meter” ainda não foi julgado, disse, numa aparente alusão ao caso BPN.

Em declarações feitas à Agência Lusa, antes do debate, Marinho Pinto salientou que “é preciso que as pessoas sem recursos tenham também acesso à justiça, é necessário investir no acesso ao Direito em Portugal e é necessário que o acesso ao Direito não seja o parente pobre da Justiça”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.