Portugal tem quatro anos para trazer o défice para os 3%


 

Lusa / AO online   Economia   11 de Nov de 2009, 10:37

A Comissão Europeia “recomendou” esta quarta-feira, em Bruxelas, que Portugal corrija até 2013 a sua situação de défice orçamental “excessivo”, o que significa um ajustamento orçamental estrutural anual médio correspondente a 1,25 pontos percentuais do PIB a partir de 2010.
O executivo comunitário propôs 2013 como prazo para a correcção dos défices orçamentais excessivos na Áustria, República Checa, Alemanha, Eslováquia, Eslovénia, Países Baixos e Portugal, ao abrigo dos seus poderes de supervisão a nível orçamental.

Os ministros das Finanças deverão aprovar esta orientação quando se reunirem em Bruxelas, a 02 de Dezembro próximo.

No caso de Portugal, a Comissão Europeia “recomenda” que o défice público desça abaixo de 3,0 por cento do PIB em 2013, o que significa um ajustamento orçamental estrutural anual médio de 1,25 pontos percentuais do PIB durante o período 2010-2013.

Bruxelas também considera que “qualquer melhoria na situação orçamental deve ser utilizada para a redução do défice e da dívida, que se prevê atingir os 90 por cento do PIB em 2011”.

Nas últimas previsões, Bruxelas estima que o défice da contas públicas em Portugal esteja nos 8 por cento, este ano. O Governo mantém, por enquanto, a previsão oficial de 5,9 por cento, embora o ministro das Finanças já tenha admitido que, depois de conhecer a execução orçamental de Outubro, o valor deva ser revisto.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.