Açoriano Oriental
Andebol/Europeu
Portugal não teve armas para superiorizar-se à anfitriã Noruega

A seleção portuguesa de andebol não conseguiu superiorizar-se à anfitriã Noruega no Euro2020, ao perder por 34-28, naquele que foi o primeiro desaire na prova, e vai partir para ronda principal com zero pontos.


Foto: EPA/Ole Martin
Autor: Lusa/AO Online

Apesar do desaire, Portugal, que antes bateu a França (28-25) e Bósnia-Herzegovina (27-24), terminou o Grupo D no segundo posto, atrás dos vice-campeões mundiais, que venceram os três jogos.

Em Trondheim, o ponta direita António Areia (cinco tentos) foi o melhor marcador português, enquanto Joendal Magnus (sete) e Sagosen (cinco) destacaram-se no lado norueguês.

Portugal vai agora disputar o grupo II na segunda fase, em Malmö, partindo com zero pontos, contra os dois da Noruega, numa ‘poule’ que será composta também pela Islândia, Hungria ou Dinamarca, Eslovénia e a anfitriã Suécia.

Antes da equipa das ‘quinas’, foi a França, detentora de seis títulos mundiais, três europeus e duas medalhas de ouro olímpicas, a conseguir, finalmente, pontuar perante a última classificada Bósnia-Herzegovina, com um triunfo claro, por 31-23, em Trondheim.

Apesar dos Bósnios, com o lateral Marko Panic em destaque (nove golos), terem começado melhor, os gauleses impuseram-se, com Valentin Porte a ser o mais eficaz da seleção francesa, com sete remates certeiros.

Na cidade sueca de Gotemburgo, a Eslovénia carimbou a presença na ‘main round’ ao fazer o pleno de vitórias no grupo F, face ao fácil triunfo (29-25), diante da Suíça, que teve o melhor marcador do encontro, o central André Schmid (oito golos).

Guiados por Daniel Pettersson, Jim Gottfridsson, Andreas Nilsson e Kim Ekdahl Du Rietz, todos com cinco golos, a anfitriã Suécia apurou-se, mas sofreu para levar a melhor diante da Polónia (28-26), que discutiu o resultado até final.

Com uma vitória por quatro tentos de diferença (32-28) sobre a Macedónia do Norte, a Áustria, anfitriã da ‘poule’ B, selou a passagem, num encontro em que chegou a ter uma vantagem de 11 golos no marcador.

O guarda-redes austríaco Thomas Eichberger, com 15 defesas, foi crucial para o desfecho vitorioso, a par do ponta Robert Weber, autor de sete golos.

Da mesma ‘poule’, a República Checa, com a vitória sobre a Ucrânia (23-19), também vai estar na próxima fase, muito por culpa das 10 defesas decisivas do guardião Martin Galia.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.