Ambiente

Portugal não cumpriu metas de Quioto

Portugal não cumpriu metas de Quioto

 

Lusa / AO online   Nacional   21 de Nov de 2007, 08:22

Portugal ultrapassou em 15,8 por cento o limite de emissões estabelecido no Protocolo de Quioto para 1990-2005, sendo depois da Espanha o país da UE-15 que menos cumpriu os objectivos estabelecidos, segundo um relatório da ONU.
Os últimos dados das Nações Unidas sobre as emissões de gases com efeito de estufa nos países que assinaram o Protocolo de Quioto, referentes ao ano de 2005, foram apresentados hoje em Bona, Alemanha, pelo secretário-executivo da Convenção Quadro da ONU para as Alterações Climáticas (UNFCCC), Ivo de Boer.

O Protocolo de Quioto, cuja vigência termina em 2012, prevê uma redução média de 5,2 por cento das emissões de gases com efeito de estufa nos países industrializados.

 O relatório da ONU - apresentado há poucas semanas - adianta que Espanha é o país da UE a 15 que menos cumpriu os objectivos estabelecidos pelo Protocolo de Quioto, tendo aumentado as suas emissões em 53,3 por cento entre 1990 e 2005, embora o país se tenha comprometido a não ultrapassar os 15 por cento.

Portugal, que tinha fixado a meta de não ultrapassar os 27 por cento de emissões no mesmo período, surge em segundo lugar dos Estados-membros da UE a 15 menos cumpridores, com um aumento de 42,8 por cento nas emissões, seguido da Grécia (26,6 por cento).

De acordo com o documento apresentado hoje, a Suécia é o país da UE a 15 que maiores progressos alcançou, uma vez que estando autorizado a aumentar as suas emissões de dióxido de carbono em quatro por cento, conseguiu reduzi-las em 7,3 por cento.

O documento da ONU sublinha ainda que apenas França, Finlândia e Reino Unido têm desenvolvido esforços acima dos exigidos, sendo que o resto dos Estados-membros analisados, entre os quais também Portugal, "não cumprem em maior ou menor medida os seus objectivos".

Estes resultados "negativos" surgem a poucas semanas da Convenção Quadro da ONU sobre as Alterações Climáticas, que se realiza de 03 a 14 de Dezembro em Bali, Indonésia, para alcançar um novo acordo global sobre o aquecimento do planeta após 2012.

Na obstante, falando na apresentação do documento, Ivo de Boer afirmou estar confiante em que os países signatários de Quioto sejam capazes de até 2012 reduzir as suas emissões em 15 por cento (relativamente aos níveis de 1990), "se adoptarem e puserem em prática medidas adicionais".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.