Portugal está em articulação permanente com o Mecanismo Europeu de Proteção Civil

Portugal está em articulação permanente com o Mecanismo Europeu de Proteção Civil

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Jun de 2019, 16:33

A segunda comandante nacional da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, destacou a importância do Mecanismo Europeu de Proteção Civil, garantindo que Portugal tem estado em articulação permanente com este meio.

“Eu diria que das coisas que melhor se têm feito ao nível da União Europeia é efetivamente o trabalho que decorre no âmbito do Mecanismo Europeu de Proteção Civil”, afirmou, em declarações aos jornalistas, à margem do I Congresso Internacional de Proteção Civil dos Açores, que decorreu em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

Segundo Patrícia Gaspar, Portugal sempre manteve uma “proximidade muito expressiva” com o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, mas essa cooperação intensifica-se no verão, face ao risco de incêndios.

“Todas as semanas temos uma videoconferência com todos os países da bacia do Mediterrâneo, para partilhar informações sobre a situação operacional, sobre os meios que estão disponíveis para possíveis intervenções conjuntas. Eu diria que este trabalho é um trabalho diário que tem corrido muito bem”, revelou.

Os meteorologistas preveem um aumento de temperaturas mais intenso, este verão, na Europa central e na Europa do norte, o que poderá aumentar o risco de incêndios.

Questionada pelos jornalistas, a segunda comandante nacional de Emergência e Proteção Civil admitiu a possibilidade de Portugal prestar assistência internacional, tal como aconteceu em 2018, na Suécia, ressalvando que ainda não é possível prever a disponibilidade de meios.

“Nós podemos projetar assistência internacional, quando os meios que temos para isso não estejam obviamente a ser empenhados a nível nacional”, disse.

“Foi essa janela de oportunidade que tivemos no ano passado, quando foram os incêndios na Suécia, que permitiu de forma consciente, bem pensada e ponderada retirar dois meios aéreos do nosso dispositivo e disponibilizá-los às autoridades suecas, onde estiveram durante quase uma semana a fazer um trabalho muito importante”, acrescentou.

Portugal já recorreu ao Mecanismo Europeu de Proteção Civil cerca de uma dezena de vezes, mas também já enviou meios para outros países num número semelhante de situações.

“Temos sido um país honesto e desinteressado naquilo que é a exportação da nossa solidariedade em matéria de proteção civil”, frisou Patrícia Gaspar, realçando que Portugal já colaborou com países com quem tem laços históricos, como Moçambique e de Cabo Verde, mas também com outros, como Irão e Haiti.

O I Congresso Internacional de Proteção Civil dos Açores, que termina hoje, juntou em Angra do Heroísmo especialistas de várias áreas, que abordaram temas como as alterações climáticas, a Proteção Civil em Portugal, a comunicação em emergência, a gestão de riscos, o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, a intervenção psicossocial em emergência e a emergência médica pré-hospitalar.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.