Economia

Políticos e media "preocupados" com eventual recurso às reservas de ouro para salvar zona euro

Políticos e media "preocupados" com eventual recurso às reservas de ouro para salvar zona euro

 

LUSA/AOnline   Economia   6 de Nov de 2011, 13:42

Os líderes políticos e os meios de comunicação alemães mostraram-se hoje "preocupados" com o eventual recurso do país às reservas de ouro para financiar o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF).

"E agora o nosso ouro", titula o jornal "Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAZ)", enquanto o "Die Welt" destaca o "ataque ao Bundesbank", Banco Central alemão, apesar de o Governo já ter sublinhado que esta possibilidade nunca foi discutida na reunião do G-20 (principais economias mundiais).

"As reservas de ouro e de divisas do Bundesbank nunca foram objeto de discussão na reunião do G-20 em Cannes", frisou no sábado à noite o porta-voz do Governo, Steffen Seibert.

O mesmo responsável contou ainda que alguns participantes da Cimeira de Cannes questionaram a Alemanha nomeadamente sobre se os direitos de tiragem especial para aumentar a eficácia do FEEF e explicou que essa medida foi rejeitada pelo lado alemão.

Isso não impediu os responsáveis políticos de acorrer hoje em defesa do Bundesbank.

O "Welt Am Sonntag" afirma que a proposta foi apresentada pelos Presidentes francês e norte-americano, Nicolas Sarkozy e Barack Obama, respetivamente, e pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron.

Apenas a oposição do presidente do Bundesbank, Jens Weidmann, isolado entre os seus pares de outros bancos centrais nacionais e do Banco Central Europeu (BCE), fez cair o projeto que previa o aumento da participação da Alemanha em 15 mil milhões de euros para o FEEF, contornando o parlamento alemão, diz o FAZ.

A ideia poderá voltar à mesa de negociações na segunda-feira na reunião dos ministros das Finanças do Eurogrupo, de acordo com o jornal, informação entretanto desmentida pelo porta-voz do Governo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.