Açoriano Oriental
Polícia Judiciária faz buscas ao Santa Clara

A Polícia Judiciária está a realizar buscas ao Santa Clara e ao Benfica, avança o site Online da revista Sábado. Os alvos são as direções das duas sociedades anónimas desportivas dos clubes. Em causa estão dois processos que visam os negócios de três jogadores líbios e suspeitas de corrupção no caso Mala Ciao.

Polícia Judiciária faz buscas ao Santa Clara

Autor: AO Online

O principal alvo da operação conjunta de buscas do Ministério Público, Polícia Judiciária e Autoridade Tributária são os negócios relacionados com três jogadores líbios: o extremo esquerdo Hamdou Elhouni; o médio defensivo Mohamed Al-Gadi; e o médio ofensivo Muaid Salem Ali, mais conhecido como Muaid Ellafi, adianta a Sábado.

"Os três atletas passaram há vários anos pelo clube dos Açores, sendo que o primeiro chegou a ser transferido a 1 de julho de 2016 para o Benfica. O valor da transferência não foi anunciado publicamente e Elhouni acabou logo nesse ano por ser emprestado durante duas épocas ao Chaves. Mais tarde, foi cedido a custo zero pelo Benfica B ao Desportivo das Aves, precisamente um dos clubes alvo do processo Mala Ciao e cujas relações com os encarnados estão sob investigação criminal", diz a Sábado.

No total, a operação de mais de 20 buscas que está em curso, no âmbito de dois processos tutelados pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (o 425 e o 602, ambos abertos em 2018), visa as instalações da SAD do Santa Clara e do Benfica, mas também empresas e residências particulares, inclusive do presidente do clube dos insulares, o advogado Rui Cordeiro, do administrador e diretor desportivo Diogo Boa Alma e do empresário brasileiro Khaled Ali Mesquita Saleh, que representa o principal acionista particular da SAD do Santa Clara. As buscas decorrem sobretudo em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, e na região da grande Lisboa.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.