PJ ouve arguidos ligados à operação “Nomos”

PJ ouve arguidos ligados à operação “Nomos”

 

Paulo Faustino   Regional   1 de Mar de 2019, 08:50

A Polícia Judiciária (PJ) procedeu na quinta-feira à inquirição de arguidos e testemunhas no âmbito da operação “Nomos”, na sequência da qual foram constituídos cinco arguidos – três pessoas e duas empresas – pela suspeita dos crimes de fraude para a obtenção de subsídio, peculato, falsificação de documentos e participação económica em negócio.

A Polícia Judiciária (PJ) procedeu ontem à inquirição de arguidos e testemunhas no âmbito da operação “Nomos”, na sequência da qual foram constituídos cinco arguidos – três pessoas e duas empresas – pela suspeita dos crimes de fraude para a obtenção de subsídio, peculato, falsificação de documentos e participação económica em negócio.

Recorde-se que neste processo foram já constituídos arguidos o presidente da Associação de Turismo dos Açores (ATA), Francisco Coelho, juntamente com uma filha que trabalha nesta empresa na área de divulgação e promoção turística, o gerente de uma agência de viagens em Ponta Delgada e ainda duas empresas (a ATA e uma agência de viagens).

As investigações sobre este caso prosseguem a cargo da PJ.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.