Açoriano Oriental
Covid-19
Pfizer prepara-se para pedir autorização imediata para a sua vacina

A empresa farmacêutica norte-americana Pfizer está a preparar-se para pedir de emergência a aprovação da sua vacina contra a covid-19, informou terça-feira o presidente da empresa, Albert Bourla.

Pfizer prepara-se para pedir autorização imediata para a sua vacina

Autor: Lusa/AO Online

Bourla fez a declaração num fórum organizado pelo The New York Times e na STAT News, após a sua empresa e o parceiro alemão, a BioNTech, terem anunciado a 09 de novembro que a vacina é eficaz em mais de 90%.

"Estamos muito perto de pedir a autorização de emergência", disse o responsável da farmacêutica, que não quis adiantar uma data precisa.

Segundo Bourla, a Pfizer já reuniu os dados de segurança requeridos pelas autoridades sanitárias, que exigem que os fabricantes acompanhem durante dois meses pelo menos metade das pessoas que receberam a vacina durante os ensaios da fase 3.

Os ensaios, que começaram em julho, envolveram quase 44.000 pessoas e, de acordo com a empresa, a vacina mostrou uma eficácia superior a 90% nos participantes sem qualquer prova prévia de infeção.

Após o anúncio feito pela Pfizer e BioNTech, na segunda-feira a empresa de biotecnologia Moderna anunciou os resultados dos testes do seu projeto de vacina, que apontam para uma eficácia de cerca de 94%.

Bourla, no fórum do STAT News, disse estar aliviado por saber que existe outra vacina de sucesso e manifestou-se confiante de que haverá ainda mais, dado que a procura global será maior do que a capacidade de qualquer empresa.

Quando anunciaram o sucesso dos seus ensaios, a Pfizer e a BioNTech indicaram que esperam produzir 50 milhões de doses este ano e 1,3 mil milhões de doses em 2021.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.