Eleições PSD/Açores

Pedro Nascimento Cabral defende um presidente a tempo inteiro e maior aproximação aos militantes

Pedro Nascimento Cabral defende um presidente a tempo inteiro e maior aproximação aos militantes

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   14 de Ago de 2018, 16:31

“O PSD precisa de um presidente a tempo inteiro, não fazendo sentido um presidente a part-time e com outras preocupações que não passem por colocar o PSD como verdadeira alternativa de governação ao PS. O Presidente do PSD tem de estar junto dos seus militantes, dos autarcas e dos deputados desde Santa Maria até ao Corvo”, disse Pedro Nascimento Cabral, candidato à liderança do PSD/Açores

O candidato à liderança do PSD/Açores falava no âmbito da apresentação da sua candidatura no concelho da Povoação, Ilha de São Miguel, aos militantes e simpatizantes social-democratas, ocasião pela qual referiu que “o PSD tem de ser uma equipa que sinta na pele o que se passa na rua, nos nossos concelhos, nas nossas Ilhas”.


Segundo comunicado de imprensa, Pedro Nascimento Cabral reforçou que é “fundamental a aproximação dos militantes ao partido”, defendendo que “os militantes, não são só os ‘amigos’ do presidente, todos merecem e devem ter voz” naquelas que são as medidas de ação do PSD/Açores, para que este seja “um verdadeiro partido de bases e com projeto político credível”.


Nesse ponto, o candidato abordou “o problema da nossa dispersão, bem como do facto de não nos conhecermos a todos”, defendendo que “queremos militantes com responsabilidade, que participem na vida ativa do partido, e que não venham apenas descarregar um voto às sedes quando acontecem eleições”.


O candidato à liderança do PSD/Açores centrou-se, ainda, na “grave situação que existe nas pescas”, referindo já ter reunido com Gualberto Rita, presidente da Federação das Pescas dos Açores, a esse propósito, acrescenta a nota.


Segundo Pedro Nascimento Cabral, “o setor das pescas necessita de uma atenção fundamental centrada na fiscalização do nosso mar e na necessidade de maior regulamentação no que diz respeito à pesca lúdica, de forma a não prejudicar o trabalho dos nossos pescadores profissionais”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.