Açoriano Oriental
PCP diz ser possível baixar preço da eletricidade sem perder compensações nacionais
O PCP defendeu que a sua proposta para uma diminuição do preço da eletricidade nos Açores em 10% é viável e não implica o corte da compensação tarifária paga à elétrica regional (EDA) pela Entidades Reguladora de Serviços Elétricos (ERSE), ao contrário do que afirmou o secretário regional Vítor Fraga.
article.title

Foto: CDU Açores
Autor: Lusa/AO online

"Nada na lei prevê essa alteração", afirma o PCP, num comunicado em que sublinha que nos últimos quatros anos os tarifários da eletricidade nos Açores aumentaram 16%, fazendo crescer "enormemente" os proveitos da EDA, que chegaram aos 85 milhões de euros em 2013, antes de impostos.

Na quinta-feira, numa audição parlamentar, Vítor Fraga rejeitou a proposta comunista, dizendo que, se as tarifas elétricas nos Açores deixassem de ser reguladas no âmbito nacional, isso implicaria o fim das compensações à EDA, que ascendem a 100 milhões de euros anuais, e levaria a um aumento do preço das tarifas de eletricidade em 95% nos Açores.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.