PCP denuncia espera de “vários meses” para tratar Hepatite C no Hospital de Braga

PCP denuncia espera de “vários meses” para tratar Hepatite C no Hospital de Braga

 

Lusa/Ao online   Nacional   28 de Jul de 2018, 01:46

O PCP denunciou esta sexta feira que doentes com hepatite C que reúnem as condições para tratamento "estão há aguardar há vários meses" pelo início da terapêutica no Hospital de Braga, que, dizem os comunistas, alega que foi "consumido o plafond".

Numa pergunta hoje dirigido ao ministério da Saúde, a deputada à Assembleia da Republica eleita pelo círculo de Braga Carla Cruz, questiona porque é que "havendo decisão clínica para o tratamento para a hepatite C não são iniciados os tratamentos" e "quantos doentes com hepatite C estão presentemente em tratamento no hospital de Braga".

A deputada quer ainda saber se a situação denunciada "resulta do diferendo existente entre a Administração Regional de Saúde do Norte e a administração do hospital no tocante aos protocolos do HIV/SIDA".

Segundo o texto anexo às questões, aos pacientes em condições de tratamento os clínicos [do Hospital de Braga] comunicaram aos doentes que têm que aguardar por nova autorização, pois já foi consumido o "plafond"".

Carla Cruz lembra que "Portugal, no âmbito do Programa Nacional para as Hepatites Virais, definiu interromper a transmissão dos vírus, garantir o acesso equitativo aos cuidados de saúde e eliminar as hepatites virais em 2030", salientando que "tal desiderato só será possível se todos os doentes com indicação terapêutica tiverem acesso ao tratamento de forma atempada".

A parlamentar refere que para o PCP a saúde pública é prioritária, pelo é preciso que se garanta efetivamente a todos os doentes o acesso ao tratamento mais adequado", relembrando a "total oposição" ao regime de Parceria Público-Privada sob o qual o Hospital de Braga é gerido.

Além das questões apontadas, o PCP quer que o ministério de Adalberto Campos Fernandes esclarece "quantos doentes com hepatite C foram já tratados no hospital de Braga" e "que medidas vão ser tomadas pelo Governo para garantir que todos os doentes com indicação para tratamento para a hepatite C tenham acesso ao tratamento atempadamente e de forma célere".




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.