Açoriano Oriental
PCP/Açores quer estratégia para execução de verbas comunitárias

O PCP/Açores considerou esta sexta feira que o montante de fundos comunitários atribuídos à região é “um valor importante”, que “poderá não ser suficiente”, mas destacou a importância de “uma estratégia de execução dessas verbas”.

PCP/Açores quer estratégia para execução de verbas comunitárias

Autor: AO Online/ Lusa

O coordenador regional do Partido Comunista Português, Marco Varela, afirmou, em relação aos cerca de 3.257 milhões de euros que o Governo Regional estima que a região venha a receber, depois de conhecidas as dotações específicas para a Pesca e para a Agricultura, que “é um valor importante, [que] poderá não ser suficiente, mas é importante que essas verbas venham”.

“Sobretudo, é importante que haja uma estratégia de execução dessas verbas”, que pode ser “fundamental em áreas muito específicas para o desenvolvimento da região”, acrescentou.

O dirigente defendeu uma distribuição “de forma a promover o desenvolvimento harmonioso das nove ilhas” e apontou para a necessidade de “fortalecer os setores produtivos, nomeadamente a agricultura, a pesca e a promoção do emprego com direitos”.

"O PCP continuará atento e irá acompanhar a execução dessas verbas", adiantou Marco Varela.

Referindo-se especificamente à dotação dos fundos de coesão, afirmou que “pode ser importante, inclusive para se criar um POSEI de transportes, que poderia vir a beneficiar o escoamento dos produtos regionais”.

Já o Plano de Recuperação Europeu deve ser utilizado para “reforçar o Serviço Regional de Saúde, seja em termos de equipamentos, seja em termos de meios humanos”.

“Quando foi preciso, o Serviço Regional de Saúde deu resposta, mas é necessário, obrigatoriamente, reforçá-lo, para dar resposta ainda mais eficaz e valorizar, naturalmente, os seus profissionais de saúde”, declarou, acrescentando que “não basta bater palmas, também é necessário valorizar os profissionais de saúde, e isso passa, naturalmente, pelos seus direitos e pela valorização dos seus salários”.

Os Açores vão receber, no âmbito dos fundos de coesão, para o período de programação de 2021 a 2027, 1.359,3 milhões de euros, um aumento de 9% em relação ao quadro anterior.

Já do novo Plano de Recuperação Europeu, o apoio excecional criado pela União Europeia para mitigar os efeitos da pandemia de covid-19, chegam 1.035,6 milhões de euros, dos quais 198 milhões destinam-se à recuperação dos danos causados pelo furacão Lorenzo, que passou na região em outubro de 2019, causando um prejuízo estimado em 330 milhões de euros.

Com os apoios específicos para a Pesca e para a Agricultura ainda por negociar, a região já garantiu 2.394,9 milhões de euros, sendo que o Governo Regional, baseando-se nos apoios setoriais anteriormente concedidos, estima que esse montante possa subir para cerca de 3.257 milhões de euros.



 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.