Europeias

Paulo Rangel diz aguardar com tranquilidade lista do PSD

Paulo Rangel diz aguardar com tranquilidade lista do PSD

 

Lusa/Ao online   Nacional   27 de Jan de 2019, 01:59

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel disse no sábado aguardar "com tranquilidade" a lista do partido nas eleições de maio ao Parlamento Europeu, garantindo que as mesmas serão conhecidas as "seu tempo" e sem a influência da imprensa.

"A mim não me compete fazer listas, nem sei que listas vão haver. (...) Aguardo com tranquilidade. O PSD a seu tempo tomará as suas decisões, e não é pelos jornais ou pelas televisões", disse o social-democrata no sábado à noite.

Paulo Rangel europeu falava à agência Lusa e à RTP à margem de um jantar integrante do XX congresso da JSD/Açores, que termina no domingo, na ilha de São Miguel.

Questionado sobre se sente atualmente, à imagem de palavras do Presidente da República, uma "grande vontade de se recandidatar", Paulo Rangel devolveu, de forma descontraída: "Não estive com o papa, e portanto não posso ter esse grau de inspiração espiritual que teve o Presidente da República".

Também no sábado, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou sair da Cidade do Panamá, onde permanece até hoje para participar nas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), com “uma grande vontade” de se recandidatar.

Nos Açores, Paulo Rangel criticou o Governo liderado por António Costa por aceitar uma proposta de quadro comunitário que "prejudica Portugal em 7% a 10%", beneficiando países mais ricos.

"E o POSEI? O corte de 4% no POSEI, que prejudica os Açores diretamente? Este Governo é responsável por isso, está disposto a pactuar com isso, e tem o descaramento (...) de vir aos Açores falar no contrário", declarou, falando do Programa de Opções Específicas para o Afastamento e a Insularidade nas Regiões Ultraperiféricas (POSEI), parte integrante da Política Agrícola Comum (PAC).

E prosseguiu: "Se há partido que tem defendido no Parlamento Europeu os Açores, da Madeira, das regiões ultraperiféricas e já agora digo de Portugal, é o PSD. Com o PSD, nunca as autonomias das regiões ultraperiféricas ficam prejudicadas".

No jantar do XX congresso da JSD/Açores, estrutura liderada por Flávio Soares, esteve presente o antigo presidente do Governo Regional dos Açores Mota Amaral, a ainda eurodeputada açoriana do partido, Sofia Ribeiro, a deputada à Assembleia da República Berta Cabral e o líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.