Paulo Bento assume favoritismo face ao CD Fátima

Paulo Bento assume favoritismo face ao CD Fátima

 

Lusa / AO online   Futebol   19 de Out de 2007, 17:55

O treinador de futebol do Sporting, Paulo Bento, assumiu esta sext-feira o favoritismo para a eliminatória da Taça da Liga frente ao CD Fátima, apesar de elogiar o adversário, que na ronda anterior da competição eliminou o FC Porto.
"Sabemos que é uma equipa que está a fazer um bom campeonato, só tem uma derrota e ainda não sofreu golos na Taça da Liga, eliminando duas equipas da primeira liga. Tem bons jogadores e boa organização, mas nós somos favoritos e assumimos isso, mas nesta fase com moldes diferentes temos que resolver o jogo de amanhã e não a eliminatória", disse o técnico em conferência de imprensa.

    Paulo Bento referiu que podem existir algumas alterações em relação ao onze habitual da equipa, mas garantiu que a equipa que vai entrar tem "condições" para lutar pela vitória e que não está condicionada pelos jogos das selecções ou da próxima partida frente ao Roma.

    "Tivemos um período onde conseguimos trabalhar todos os aspectos com o grupo completo e o que fazemos tem que ser suficiente para enfrentar os jogos da mesma maneira, mesmo com jogadores nas selecções. O querer é muitas vezes mais importante que o poder", salientou.

    O treinador considerou que a primeira fase da prova é mais propicia a surpresas que a actual e garante que o facto da partida se disputar no estádio do Restelo, devido a troca do relvado de Alvalade, não vai ser um factor decisivo.

    "Gostaríamos mais de jogar no nosso estádio, mas não temos condições para o fazer. Se alterássemos a ordem depois íamos fazer muitos jogos seguidos no novo relvado, mas este não é um factor decisivo para a eliminatória", afirmou.

    O técnico falou ainda sobre o actual momento de forma de Yannick Djaló e os assobios dos adeptos para o avançado, considerando que todos os atletas passam por "momentos menos bons".

    "As pessoas exigem mais porque sentem que há potencial para isso, ele tem consciência disso e nós também. Temos que ir à procura de melhorar o seu rendimento, mas parece que se está a fazer quase um caso nacional pelo Yannick estar num momento menos bom", referiu.

    O técnico acrescentou ainda: "É um problema que devemos controlar, não fazer de jogadores de 18 ou 19 anos os melhores do Mundo de um momento para outro e que são eles que vão resolver os problemas de uma equipa, ou concretamente do Sporting".

    Questionado sobre a possibilidade de Carlos Saleiro integrar o plantel dos "leões" a partir de Janeiro, Paulo Bento garantiu também que não vai falar das possíveis saídas ou entradas de jogadores no mercado de Inverno, apesar de garantir que acompanha todos os jogadores emprestados.

    Quanto ao facto de Miguel Veloso ter assumido pela primeira vez a possibilidade de sair do Sporting no mesmo período, o técnico lembrou que a cláusula de 30 milhões de euros tem um tempo de validade.

    "A cláusula tem um período para ser accionada, em Janeiro legalmente não o pode ser, e o que posso dizer é que a nível desportivo não quero perder o Miguel. Tenho poucos anos disto, mas num clube como o Sporting não podia ter maior realidade", disse.

    Em relação às críticas feitas por alguns dirigentes e pelo técnico do Benfica, José António Camacho, sobre como se fala da arbitragem em Portugal, o técnico do Sporting defendeu que diz o que entender, apesar de não pretender responder aos comentários efectuados.

    "Não falaram no meu nome pois não?! Descobri agora que fui eu que trouxe as críticas aos árbitros para o futebol nacional e fico satisfeito por trazer mais uma novidade ao futebol português. Já fui acusado de muita coisa em 15 dias, por isso não abordo esse tema, mas faço o discurso que entendo, na minha boca e cabeça mando eu", salientou.

    Paulo Bento lembrou ainda que ao longo da sua careira como treinador do Sporting, apenas perdeu seis jogos para o campeonato e que só em um deles falou sobre a arbitragem.

    "Se tiverem atenção, desde que dirijo o Sporting perdi seis jogos e apenas com o Paços de Ferreira falei sobre a arbitragem, em mais nenhuma", concluiu.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.