Crise financeira

Patrão do Deutsche Bank renuncia ao seu bónus anual


 

Lusa/AOonline   Economia   17 de Out de 2008, 12:03

O presidente do Deutsche Bank, Josef Ackerman, anunciou ter renunciado ao seu bónus anual, no valor de alguns milhões de euros, por "solidariedade" nestes tempos de crise financeira.
"Anunciei ao Conselho Fiscal do Deutsche Bank que renunciava neste ano difícil ao meu bónus em proveito de trabalhadores que têm mais necessidade de dinheiro que eu", explicou o patrão do principal banco alemão ao semanário Bild am Sonntag.

    Os outros três membros do direcção do banco vão seguir o seu exemplo, precisou o Deutsche Bank.

    Em 2007, a direcção havia embolsado um total de 33,2 milhões de euros, dos quais 4,3 milhões sob a forma de prémio indexado à rendibilidade da instituição.

    Por outro lado, o Deutsche Bank não vai solicitar ajudas do Estado alemão, que se apresta a ratificar hoje o seu plano de salvamento do sector bancário.

    "A capitalização do Deustche Bank é muito sólida, e por isso não há qualquer necessidade de ajuda do Estado", adiantaram fontes financeiras.

    O plano alemão de salvamento do sector bancário deverá ser aprovado hoje sem problema pelo parlamento.

    O plano prevê uma garantia de 400 mil milhões de euros para os empréstimos interbancários e 80 mil milhões de euros para recapitalizar as instituições em dificuldades.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.