Partidos contestam redução das emissões da RTP/Açores a quatro horas diárias

Partidos contestam redução das emissões da RTP/Açores a quatro horas diárias

 

Lusa/AO Online   Regional   31 de Ago de 2011, 07:34

A contestação à intenção anunciada pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, de reduzir as emissões da RTP/Açores une CDS/PP, BE, PCP e PPM, não sendo ainda conhecidas as posições do PS e PSD na região.

“O CDS-PP Açores está contra esta decisão do ministro Relvas, lamenta-a profundamente", refere Artur Lima, líder regional do partido, num comunicado em que considera a redução das emissões diárias da RTP/Açores "um ataque sem precedentes à autonomia regional, pois é bom lembrar que a RTP/Açores foi uma das conquistas da autonomia".

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, disse hoje na Comissão de Ética, Cidadania e Comunicação da Assembleia da República que as emissões da RTP Madeira e da RTP Açores vão ser reduzidas para quatro horas por dia, das 19:00 às 23:00.

Para Artur Lima, "reduzir (a RTP/Açores) a uma insignificante janela de emissão é um feroz ataque ao processo autonómico”.

No mesmo sentido, Zuraida Soares, líder regional do BE/Açores, considera a decisão “lamentável, para não dizer indecente”.

Zuraida Soares criticou que o ministro tenha defendido a redução da emissão da RTP/Açores sem antes ter ouvido os órgãos de governo da Região, atitude que considerou ser reveladora de um “desprezo” em relação aos Açores e aos açorianos.

Por essa razão, anunciou que vai requerer a audição do ministro Miguel Relvas na Comissão de Assuntos Parlamentares da Assembleia Legislativa Regional dos Açores para que “esclareça os deputados sobre as suas intenções”.

“Lamentável” foi também o adjetivo utilizado por Aníbal Pires, coordenador regional do PCP/Açores, para qualificar a decisão de Miguel Relvas sobre a RTP/Açores, considerando que o ministro revelou “desconhecimento da realidade regional”.

“A RTP SA. tem efetivamente necessidade de uma reestruturação", admitiu Aníbal Pires, acrescentando, no entanto, que essa reestruturação tem de começar por abolir os “salários milionários do presidente do Conselho da Administração e de alguns colaboradores”.

Por seu lado, Paulo Estêvão, líder nacional e regional do PPM, considerou "paupérrimo" o discurso de Miguel Relvas, frisando que a sua declaração sobre a RTP/Açores, além de “improvisada”, revelou um “preconceito” em relação às regiões autónomas.

“Reduzir a emissão da RTP/Açores a uma janela de quatro horas diárias é matar, desde já, o serviço público”, frisou.

A Lusa tentou também obter uma reação do PS e do PSD, os maiores partidos na região, sobre a intenção de reduzir as emissões da RTP/Açores a quatro horas diárias, mas todas as tentativas se revelaram infrutíferas até ao momento.

A SubComissão de Trabalhadores da RTP/Açores tem marcada para o final da tarde de hoje uma audiência com o presidente do Governo Regional, Carlos César, onde será analisada esta questão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.