Parque Natural de S. Miguel cria abrigos para morcego dos Açores

Parque Natural de S. Miguel cria abrigos para morcego dos Açores

 

Ana Carvalho Melo   Regional   25 de Jan de 2013, 09:59

A Secretaria Regional dos Recursos Naturais promoveu, através do Parque Natural de S. Miguel, a colocação de caixas de abrigos na Área Protegida das Furnas para promover o habitat do morcego dos Açores (Nyctalus azoreum).

Esta inivciativa decorreu no âmbito do Plano Regional de Educação e Sensibilização Ambiental (PRESAA) e teve como objetivo promover o habitat do morcego dos Açores, o único mamífero endémico do arquipélago,
 

Este morcego, que pesa apenas 13 gramas, vive em colónias nas cavidades de árvores, rochas e fendas de muros/edifícios e alimenta-se de insetos, sendo capaz de ingerir milhares durante uma única sessão noturna (aproximadamente 3.000, o equivalente ao seu peso, o que se traduz em cerca de 4 kg/ano).

 

Esta é uma espécie essencial para o controlo de pragas como os mosquitos em zonas habitacionais ou a mosca da fruta em áreas de pomar, pelo que a construção destes abrigos pretende salvaguardar algumas condições do habitat desta espécie em vias de extinção.

 

A madeira utilizada nestes abrigos é proveniente de espécies invasoras, neste caso concreto, a Acacia melanoxylon, resultante de um corte de árvores nas margens da ribeira do Rosal, num processo contínuo de requalificação ambiental e paisagística daquela área.

 

A execução e colocação dos abrigos ficou a cargo dos trabalhadores do programa de Colocação Temporária de Trabalhadores Subsidiados (CTTS), afetos a estes serviços e responsáveis pela realização de inúmeras peças em madeira para a área de Paisagem Protegida das Furnas.

 

Além da colocação em áreas de gestão própria, foram também distribuídos abrigos pelos vários parceiros do Projeto de Recuperação Ecológica e Paisagística da Bacia Hidrográfica da Lagoa das Furnas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.