Parlamento açoriano condena postura de Trump sobre Jerusalém

Parlamento açoriano condena postura de Trump sobre Jerusalém

 

Lusa/AO online   Regional   14 de Dez de 2017, 14:24

O parlamento dos Açores condenou hoje por unanimidade o reconhecimento recente do presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, de Jerusalém como capital de Israel.


O voto de protesto apresentado pelo Bloco de Esquerda, e lido pelo deputado António Lima, mereceu parecer favorável de todas as demais bancadas: PS, PSD, CDS-PP, PCP e PPM.

No texto, é referido que a decisão de Trump "não conhece precedente na história diplomática internacional" e "atenta contra todos os esforços de paz, do passado e do presente", perpetuando "o conflito israelo-palestiniano".

Donald Trump anunciou em 06 de dezembro que os Estados Unidos reconhecem Jerusalém como capital de Israel e que vão transferir a sua embaixada de Telavive para Jerusalém, contrariando a posição da ONU e dos países europeus, árabes e muçulmanos, assim como a linha diplomática seguida por Washington ao longo de décadas.

Os países com representação diplomática em Israel têm as embaixadas em Telavive, em conformidade com o princípio, consagrado em resoluções das Nações Unidas, de que o estatuto de Jerusalém deve ser definido em negociações entre israelitas e palestinianos.

A questão de Jerusalém é uma das mais complicadas e delicadas do conflito israelo-palestiniano, um dos mais antigos do mundo.

Israel ocupa Jerusalém oriental desde 1967 e declarou, em 1980, toda a cidade de Jerusalém como a sua capital indivisa.

Os palestinianos querem fazer de Jerusalém oriental a capital de um desejado Estado palestiniano, coexistente em paz com Israel.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.