Açoriano Oriental
Papa Francisco reestrutura unidade de combate ao branqueamento de capitais da Santa Sé

O Papa Francisco reestruturou a unidade de informação financeira e combate ao branqueamento de capitais da Santa Sé na sequência de vários escândalos, incluindo uma investigação interna de corrupção em curso, afirmaram este sábado funcionários do Vaticano.

Papa Francisco reestrutura unidade de combate ao branqueamento de capitais da Santa Sé

Autor: AO Online/ Lusa

De acordo com o Vaticano, as mudanças envolvem a gestão e a organização da unidade, que passou a chamar-se Autoridade de Supervisão e Informação Financeira, ou ASIF.

Até sábado, era conhecida como AIF, ou Autoridade de Informação Financeira.

O presidente da nova autoridade, Carmelo Barbagallo, um antigo funcionário do banco central italiano disse que as alterações ordenadas por Francisco sob a forma de um novo estatuto iriam reforçar as responsabilidades de supervisão financeira da entidade.

Francisco pretende trazer maior responsabilidade e transparência ao Vaticano, dando continuidade aos esforços do seu predecessor, Bento XVI.

As atividades da ASIF passam a ser divididas em três unidades: vigilância, regras e assuntos jurídicos e informação financeira.

As suas funções incluem "supervisão destinada à prevenção e combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo", de acordo com o novo estatuto.

Ao assinar o estatuto, o Papa Francisco anunciou as "implementações progressivas dos gabinetes de supervisão em matéria de luta contra o branqueamento, combate ao terrorismo e proliferação das armas de destruição maciça" da Santa Sé.

Os escândalos financeiros têm perseguido o Vaticano durante décadas.

Um dos mais recentes centra-se num negócio imobiliário em Londres envolvendo um investimento de 350 milhões de dólares do Vaticano.

O caso está a ser investigado pelo Vaticano.



PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.