Açoriano Oriental
Origem do incêndio no HDES gera polémica entre autor do relatório e tutela

João Mota Vieira diz que origem do foco de incêndio não foi nas baterias de condensadores, enquanto a secretária regional da Saúde mantém o que já tinha afirmado

Origem do incêndio no HDES gera polémica entre autor do relatório e tutela

Autor: Carolina Moreira/Nuno Martins Neves

Um dos autores do relatório técnico de investigação às causas do incêndio no Hospital de Ponta Delgada negou, no debate da Antena 1/Açores, que a situação tenha tido origem numa falha nas baterias de condensadores, tal como havia sido anunciado esta semana pela secretária regional da Saúde.

No debate promovido pela Antena 1/Açores, dois meses depois do incêndio, João Mota Vieira contradisse Mónica Seidi, afirmando que a justificação apresentada “não está escrita no relatório”.

“O nosso relatório não confirma que a senhora diga que o incêndio foi nas baterias dos condensadores. Não está escrito no nosso relatório”, afirmou. Sem poder revelar o conteúdo do documento, uma vez que o Conselho de Administração do hospital pediu para juntar o relatório ao inquérito da Polícia Judiciária, João Mota Vieira garantiu que essa não foi a causa do incêndio. “Não posso dizer o que lá está escrito, mas posso dizer o que não está. E o que a senhora diz aqui não é”.

Mónica Seidi reagiu às declarações do especialista reafirmando as causas do incêndio que anunciou esta semana em conferência de imprensa, mas admitiu que possa ter havido uma “falha de interpretação”.

“Quando o relatório for tornado público, está lá escrito que uma das causas do incêndio se deve a uma falha de equipamento técnico, nomeadamente nas baterias de condensadores. Portanto, está lá escrito, não há aqui nenhuma intenção da secretária em fazer passar outra informação, mas é como lhe digo o relatório, aquando pronúncia do juiz de instrução criminal, será tornado público e aí podemos tirar todas as dúvidas. Pode haver uma falha de interpretação da minha parte, mas penso que está lá escrito”, afirmou.

O Açoriano Oriental apurou que o incêndio no HDES terá tido a sua origem em baterias de correção de fator de potência que, segundo confirmou o jornal, tratam-se, de facto, de baterias de condensadores.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados