Ensino superior

Orçamento para ensino superior aumenta em 2008

Orçamento para ensino superior aumenta em 2008

 

Lusa / AO online   Nacional   27 de Set de 2007, 20:58

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, afirmou quinta-feira que o orçamento público para as universidades aumentará em 2008.
Em declarações aos jornalistas na Faculdade de Ciências e Tecnologia de Coimbra, Mariano Gago disse que o orçamento "aumenta de forma desigual para as diferentes universidades, em função daquilo que elas precisam e daquilo que elas são capazes de fazer".

"O aumento de verbas públicas, do dinheiro dos contribuintes, para o ensino superior não pode e não continuará como era tradicionalmente", insistiu Mariano Gago.

Segundo o ministro, "a maioria desse aumento apenas será atribuído em função da actividade concreta e do sucesso das instituições e designadamente no caso das universidades, da actividade de investigação científica".

"São verbas que são atribuídas de forma competitiva. Quando as universidades concorrem para o financiamento de projectos de investigação é em função da capacidade demonstrada e dos resultados obtidos que têm ou não têm financiamento", adiantou.

Mariano Gago frisou que se trata de "dinheiro público, que tem de ser distribuído e concentrado nas instituições que mostrem mais capacidade para o utilizar".

O ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior deu estas explicações após ser confrontado com as críticas ao subfinanciamento destas instituições, formuladas quarta-feira pela reitora da Universidade de Aveiro, declarações que Mariano Gago afirmou desconhecer.

O governante disse não responder "a nenhum reitor através da comunicação social", dando uma resposta idêntica quando foi questionado sobre parte do discurso feito na semana passada pelo reitor da Universidade de Coimbra, Seabra Santos, na sessão solene de abertura do ano lectivo 2007/2008.

Num trecho do seu discurso, Seabra Santos considerou não ser "uma boa solução" a "concentração de quase todas as responsabilidades políticas do Ministério em pessoas provenientes de uma só escola", referindo-se ao Instituto Superior Técnico de Lisboa.

Ao pronunciar-se sobre a situação na Universidade Internacional, Mariano Gago disse que o processo ainda não se encontra encerrado, mas que a instituição "apresentou provas de que tinha corrigido as deficiências detectadas" que impediam a abertura de vagas este ano e, por isso, "nos termos da lei, as vagas para este ano serão abertas".

Sobre a Universidade Moderna, Mariano Gago disse que "os factos detectados e averiguados até agora impedem o ministério de autorizar a Universidade a abrir novas vagas para o primeiro ano este ano lectivo".

O ministro presidiu quinta-feira à abertura oficial do mestrado em engenharia de software Carnegie Mellon University/Universidade de Coimbra, na Faculdade de Ciências e Tecnologia.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.