Futsal

Operário goleia Sport Lagoa e Benfica em dérbie histórico

Operário goleia Sport Lagoa e Benfica em dérbie histórico

 

Arthur Melo   Outras modalidades   20 de Dez de 2008, 22:02

O Operário goleou no dérbi lagoense de futsal da 11ª jornada da Série D da III Divisão Nacional

O Operário goleou no dérbi lagoense de futsal da 11ª jornada da Série D da III Divisão Nacional, numa partida que ficará para sempre na história, não só pelo facto inédito de ter sido disputado pelas duas formações de futsal do concelho mas, também, pelo gordo resultado verificado no final.

Os 7-1 com que o Operário bateu o Sport Lagoa e Benfica podem parecer exagerados mas, para quem lá esteve - as bancadas do Pavilhão da Escola Secundária da Lagoa encheram por completo - muitos mais golos ficaram por marcar, para ambas as formações.

O triunfo dos fabris não sofre qualquer tipo de contestação, até porque para além de ter sido a formação mais eficaz, foi aquela que se mostrou sempre mais esclarecida no encontro, apesar de nos primeiros dez minutos ter abusado no seu jogo lento - o que acabou por adormecer os rivais - e dos muitos passes errados.

Mais velozes nas trocas de bola e nas desmarcações, o Sport Lagoa e benfica até parecia estar no comando das operações, embora fosse bastante notório o receio, por parte de ambas as equipas, em sofrerem o primeiro golo.

Depois de sonolentos 17 minutos, o jogo transfigurou-se por completo com as primeiras ocasiões de golo do jogo, uma para cada lado. Foi o mote para o festival de golos que se iria verificar nos últimos dois minutos, com os fabris a marcarem três tentos, fruto do bom aproveitamento dos erros defensivos que o Sport Lagoa e Benfica cometeu.

O 3-1 registado ao intervalo foi tão somente um aperitivo para o que estava para vir no segundo tempo, onde nos primeiros dez minutos os fabris arrumaram com o jogo. Entraram melhor, provocaram novos erros defensivos e, tranquilamente, foram construindo uma robusta vitória que o Sport Lagoa e Benfica nunca soube contrariar, nem mesmo nos últimos dez minutos - altura em que Vitinha jogou como guarda-redes avançado -, acabando mesmo por sofrer mais quatro golos nos segundos 20 minutos.

Minhoca, pelo hat-trick que apontou, pelo que jogou e fez jogar, foi o grande destaque do histórico encontro de ontem, sendo que André também merece destaque pela grande exibição num jogo que, apesar dos receios, desenrolou-se com fair play e muita cordialidade.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.