Presidência UE

ONG e 600 pessoas de 30 países participam no Ano da Igualdade


 

Lusa/Ao online   Nacional   19 de Nov de 2007, 05:36

Organizações não-governamentais de toda a Europa e cerca de 600 pessoas de 30 países participam hoje em Lisboa no encerramento do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades, iniciativa lançada para sensibilizar a população para a não discriminação.
O Camião Europeu da Diversidade, que em Abril partiu de Estrasburgo, França, para visitar 19 Estados-membros, questionando os cidadãos sobre o seu conhecimento das medidas de combate à discriminação, estará hoje junto ao Centro Cultural de Belém, onde receberá a visita do comissário europeu da tutela, Vladimir Spidla.

    O comissário irá ainda inaugurar uma exposição, na escola de circo Chapitô, de cartazes alusivos à questão da igualdade, que já foram exibidos em Bruxelas, junto à sede da Comissão.

    Entre as metas da organização deste Ano da Igualdade de Oportunidades, que a Comissão Europeia espera ter contribuído para promover o respeito pela diferença, está o aumento da participação de grupos na sociedade que são vítimas de discriminação.

    A descentralização do debate foi o meio que a União Europeia (UE) encontrou para sensibilizar as pessoas para os seus direitos à igualdade de tratamento e a uma vida isenta de discriminação, tendo sido estabelecido um orçamento de 7,65 milhões de euros para financiar, a 50 por cento, iniciativas de âmbito nacional.

    Desde 2000 que a UE proíbe "a discriminação em razão de origem racial ou étnica, religião ou crença, deficiência, idade ou orientação sexual no local de trabalho e, no que se refere à origem racial e étnica, em outros aspectos da vida quotidiana".

    A temática do combate à discriminação e da promoção da igualdade de oportunidades para todos é considerada essencial numa União que actualmente é composta por 27 nacionalidades e onde são faladas 23 línguas oficiais.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.