Pequim2008

Obikwelu abandona e pede desculpa aos contribuintes portugueses

Obikwelu abandona e pede desculpa aos contribuintes portugueses

 

Lusa/AO   Outras modalidades   16 de Ago de 2008, 18:38

Francis Obikwelu anunciou o fim imediato da carreira no atletismo e pediu desculpa aos portugueses por não ir à final dos 100 metros

  Francis Obikwelu anunciou o fim imediato da carreira no atletismo e pediu desculpa aos portugueses por não ir à final dos 100 metros, com o argumento de que era pago por eles para estar nos Jogos Olímpicos.
“Agradeço a todos, porque estiveram a ver-me na televisão, e peço desculpa. Eu estou a ganhar dinheiro porque o povo português está a pagar para eu estar aqui e não consegui chegar à final. Este é o meu trabalho e queria pelo menos dar uma final aos portugueses”, disse.
O atleta oriundo da Nigéria, de 29 anos, considerou que a eliminação nas meias-finais dos Jogos Olímpicos Pequim2008, onde defendia a medalha de prata conquistada em Atenas2004, era “um momento muito baixo” para si.
“Não quero arranjar desculpas. Foi um momento baixo, não consegui melhorar para estar na final. Sei que em Portugal todo o povo está a apoiar-me neste momento baixo. Não sei o que se passou, mas não consegui acelerar”, afirmou o velocista do Sporting.  Após um arranque lento, que admitiu ter sido mesmo o pior das sua três corridas em Pequim, Obikwelu foi sexto na segunda meia-final, com 10,10 segundos, terminando a sete centésimos do quarto, o último apurado para a final.
“O meu arranque foi lento, foi o pior aqui, mas não quero arranjar desculpas. O problema foi meu e não vou à final. Mas o que fazer? A vida continua e vou deixar o atletismo. Vou descansar, já. Foi a última corrida para mim”, revelou, adiantando que já não alinha nos 200 metros.
Francis Obikwelu, que acabou no 11º lugar geral, disse que a decisão já estava tomada e justificou-a com os “muitos problemas” nos joelhos e os anos de carreira: “Penso que, após 14 anos de atletismo, é o momento de sair. A minha mãe vem para cá e vou fazer outra coisa”. 
Quando questionado sobre se ainda faria alguns “meetings”, Obikwelu, que ainda tem contrato com o Sporting, disse não saber, mas assegurou que “neste momento isso está decidido” na sua cabeça.
E disse ter ficado “contente” com a carreira que fez no atletismo: “Conseguir todas as medalhas que tenho, Jogos Olímpicos, campeonatos da Europa, campeonatos do Mundo...”, notou, para de imediato acrescentar que “não é importante” fazer o balanço da carreira.
"O importante é que, nos momentos baixos, o povo português levantou-me e deu-me o melhor”, frisou, revelando que o que mais o marcou em quase década e meia de atletismo foi a forma como foi recebido em Portugal. “Quando tive um problema, estiveram sempre ali e o Francis é o Francis.”
Obikwelu disse que não era consolação para ele, nem considerava importante ter sido o melhor da Europa nos 100 metros de Pequim2008 e insistiu que sempre sonhou com uma medalha. “Nunca tive medo, só que a coisa não correu bem. Eles estão muito fortes e só oito chegam à final”.
Garantindo que não se sentiu cansado, o campeão da Europa disse que esteve “muito bem no aquecimento” e frisou que “estas coisas acontecem”, recordando que em todas as corridas teve adversários a realizarem falsas partidas.
Agora vai de férias no Algarve com a mãe, que viaja da Nigéria, e só depois vai pensar no que fazer de futuro, mas admitiu passar a dedicar-se à sua fundação.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.