Novo Governo faz primeira viagem em autocarros da Carris movidos a gás natural


 

AO Online/ Lusa   Nacional   26 de Out de 2019, 16:39

Os membros do XXII Governo Constitucional viajaram este sábado em dois autocarros da rodoviária lisboeta Carris, numa carreira que ligou o Palácio Nacional da Ajuda à Presidência do Conselho de Ministros, em Lisboa.

A viagem entre o palácio da tomada de posse dos membros do executivo e o local onde o Conselho de Ministros se vai reunir pela primeira vez foi feita em dois autocarros movidos a gás natural.

A fotografia de família do novo Governo vai ser tirada na escadaria da Presidência do Conselho de Ministros.

Inicialmente eram três os veículos amarelos estacionados junto ao Palácio Nacional da Ajuda, com o sinal de “reservado” na frente, mas um acabou por ser retirado dali.

Os 70 governantes saíram, então, divididos entre os dois primeiros autocarros.

O secretário de Estado do Orçamento, Mourinho Feliz, foi o primeiro a entrar no transporte, pelas 12:50, segundos depois de as portas se abrirem.

O primeiro-ministro, António Costa, seguiu no primeiro veículo estacionado, e com ele seguiram, entre outros, o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Matos Fernandes, bem como a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque.

À medida que os ministros e secretários de Estado iam abandonando o Palácio da Ajuda, saindo por portas distintas, iam entrando nos autocarros.

Às 13:07, os dois veículos reservados ao novo executivo deixaram a Ajuda com alguns membros a viajarem sentados e outros de pé.

Os membros do Governo optaram por não falar aos jornalistas nem à chegada nem à saída da cerimónia de tomada de posse, tendo o primeiro-ministro seguido o exemplo e dito apenas: “boa tarde” enquanto se deslocava entre a porta do palácio e o autocarro em que seguiu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.