Novo Comité Central do PCP eleito apenas com oito votos contra


 

Lusa / AO online   Nacional   30 de Nov de 2008, 21:26

O Comité Central do PCP foi hoje eleito, no XVIII Congresso Nacional, em Lisboa, com 98 por cento dos votos, oito votos contra e 17 abstenções.
    No debate, à lista de 158 nomes do Comité Central foi acrescentado mais um nome, Filipe Vintém, da direcção do partido de Aveiro, anunciou Luísa Araújo, da comissão eleitoral do congresso.

    Na reunião dos delegados, que durou três horas e decorreu à porta fechada, votaram 1402 delegados, dos quais 1377 a favor, oito contra e 17 abstenções.

    A dirigente comunista afirmou que esta “foi uma votação expressiva, muito forte e de muita confiança” no Comité Central, mas admitiu terem existido “opiniões diferenciadas”.

    Pela segunda vez, a eleição foi feita por voto secreto, através de sistema electrónico, “por imposição de uma lei dos partidos anti-democrática”, que impõe o voto secreto, declarou Luísa Araújo.

    A dirigente comunista admitiu que “quando se fala de nomes” é “natural haver opiniões diferenciadas”.

    “Gostavam que um camarada com quem trabalham estivesse na lista”, admitiu.

    Entre as saídas estão o deputado Honório Novo, o histórico Carlos Costa, que acompanhou o líder histórico Álvaro Cunhal na fuga da prisão de Peniche, em 1960, e Vítor Dias, que esteve 29 anos no Comité Central e 14 na Comissão Política.

    No Comité Central mantêm-se, entre outros, o antigo líder Carlos Carvalhas, o vice-presidente da Assembleia da República António Filipe, a ex-deputada Odete Santos e os históricos Albano Nunes e Domingos Abrantes, que deixou a Comissão Política no anterior congresso.

    Do sector sindical, mantêm-se Arménio Carlos, dirigente da CGTP, e Amável Alves, enquanto outra sindicalista da Intersindical, Maria do Carmo Tavares, abandona este órgão.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.