Sociedade

Norte-americano completa travessia entre as ilhas do Faial e Pico


 

Lusa/AO online   Regional   20 de Ago de 2008, 18:51

O norte-americano David Yudovin, de 57 anos, concluiu a travessia, a nado, entre as ilhas açorianas do Faial e Pico, uma distância de cerca de cinco milhas marítimas percorridas em 2 horas e 20 minutos.
Segundo fonte do Clube Naval da Horta, que acompanhou a prova, David Yudovin chegou à Ponta da Pedra Banca, na Madalena do Pico, exactamente 2 horas e 20 minutos depois de ter partido do Ilhéu Negro, junto ao monte da Guia, na ilha do Faial.

    O nadador norte-americano, natural de Los Angeles, pretendia efectuar a travessia em menos de três horas, um feito que acabou por conseguir com facilidade, atendendo às boas condições climatéricas (céu encoberto e fraca ondulação).

    A acompanhar a travessia estiveram, permanentemente, duas embarcações do Clube Naval da Horta, numa das quais seguia a bordo um técnico de emergência médica, cujos serviços não chegaram a ser necessários.

    David Yudovin é um homem de negócios reformado, que é mundialmente famoso pelas suas travessias marítimas a nado, como a do Canal da Mancha, do Estreito de Gibraltar, do Estreito de Cook, na Nova Zelândia, do Estreito de Sunda, na Indonésia, e do estreito de Tsugaru, no Japão.

    O norte-americano, que em Fevereiro deste ano esteve na Horta para preparar esta travessia, pretende agora realizar algo mais difícil: percorrer, a nado, as 10 milhas marítimas que separam as ilhas do Pico e São Jorge.

    Esta não é a primeira vez que um nadador faz a travessia do canal Faial/Pico, nem do canal Pico/São Jorge.

    Segundo o Museu de Desporto da Câmara Municipal da Horta, o pioneiro nesta travessia foi outro norte-americano, S. A. Gustafson, electricista de profissão, que, em 1926, ligou as ilhas do Faial e do Pico, em 5 horas e 20 minutos.

    Um recorde que viria a ser batido apenas três anos depois (1929), pelo faialense Manuel Azevedo Lima, desportista do Sporting Clube da Horta, que fez a travessia, mas em sentido inverso, em 3 horas e 06 minutos.

    Só em 1966, outro nadador conseguiu repetir a proeza, desta feita o picoense José Maria de Medeiros que, na mesma semana, realizou a travessia do canal Faial/Pico, em 2 horas e 30 minutos, e do canal Pico/São Jorge, em 11 horas e 50 minutos, feito que mereceu honras de destaque na Revista da Armada.

    Mais tarde, já nos anos 80, um outro nadador, Raul Domingues, cumpriu também com êxito a travessia das cinco milhas náuticas que separam o Faial do Pico.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.