NATO resgata sobreviventes entre jorros de lava


 

Lusa / AO online   Internacional   1 de Out de 2007, 17:32

Navios da Aliança Atlântica (NATO) resgataram hoje sobreviventes e cadáveres do Mar Vermelho, na sequência de uma erupção vulcânica num ilhéu iemenita que se afundou parcialmente, mas de onde ainda saem jorros de lava.
A erupção ocorreu domingo no ilhéu oval de Jabal al-Tair (Montanha do Pássaro), com uma área de cerca de três quilómetros - a 115 quilómetros da costa - e desabitado excepto numa zona onde funcionava uma pequena base militar iemenita para controlo do fluxo marítimo.

A base foi imediatamente evacuada mas, segundo informações oficiais, dos 29 militares ali destacados, há a lamentar uma dezena de desaparecidos. Uma esquadra da NATO que passava nas imediações foi chamada a prestar socorro.

O lado oeste do ilhéu afundou-se com a erupção, de acordo com a agência noticiosa local, SABA. O Ministério da Defesa iemenita adiantou que a lava ainda jorra.

A NATO resgatou quatro sobreviventes e dois cadáveres, disse o porta-voz canadiano Ken Allen, a bordo do HMCS Toronto, sem precisar a causa das mortes.

Estes números não coincidem com os oficiais divulgados por Sanaa, que apontam para o resgate - pelos aliados - de um sobrevivente e três cadáveres.

A “Montanha do Pássaro” - um dos numerosos ilhéus vulcânicos no sul do Mar Vermelho, entre o Iémen e o Sudão - teve a sua última erupção em 1883, em registo do Programa Global de Vulcanismo do Instituto Smithsonian, sedeado em Washington.

Durante as duas últimas semanas foram sentidos na região abalos telúricos com uma magnitude de 2 a 3,6 na escala de Richter. A erupção de domingo foi antecedida de três sismos com uma magnitude de 4,3, na mesma escala, indicou o Ministério do Petróleo e Recursos Mineiros do Iémen.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.