Natalino Viveiros diz que há dirigentes concelhios do PSD que não são militantes


 

Lusa / AO online   Regional   3 de Nov de 2007, 19:10

O candidato à liderança do PSD/Açores, Américo Natalino Viveiros, denunciou hoje a existência de dirigentes concelhios que não são militantes, uma situação que mostra as “muita deficiências” de organização do partido no arquipélago.
    “Nós vamos apresentar, na próxima segunda-feira, esta situação ao Conselho de Jurisdição”, adiantou o candidato aos jornalistas, após um encontro com militantes do concelho de Ponta Delgada, integrado na sua campanha para as eleições directas internas de 09 deste mês.

    Num dos casos “não temos dúvidas, porque não aparece em nenhuma das listas que temos entre mãos e, portanto, não é de facto militante”, explicou Américo Natalino Viveiros, ao lembrar que, para se ser dirigente, é necessário ser militante há mais de seis meses para ser eleito.

    “Não estando filiado, não pode ocupar um lugar que tem, necessariamente, de tomar decisões, neste caso a nível concelhio, mas que têm repercussões dentro partido”, alertou o candidato, que vai defrontar Costa Neves, o actual líder, nas primeiras “directas” regionais do PSD/Açores.

    Segundo disse, esta situação vem demonstrar que, a nível local, o PSD/Açores “tem muitas deficiências”, uma das razões que levou a concorrer à liderança, alegando que o partido tem de ter a sua “gestão e administração perfeitamente clarificada e operacional”.

    Américo Natalino Viveiros reafirmou, ainda, que o PSD/Açores precisa de vencer as legislativas regionais de 2008 também para “estar mobilizado para as eleições autárquicas” do ano seguinte.

    “Se o partido tiver um resultado menos bom em 2008, chega debilitado às eleições autárquicas de 2009”, alertou o antigo secretário regional dos governos social-democratas.

    Para o candidato, que defendeu que o PSD/Açores precisa de um “trambolhão”, “não há eleições ganhas antecipadamente” e salientou que um bom resultado eleitoral no próximo ano “depende do trabalho que o partido fizer e da mobilização que for capaz de empreender”.

    Se ganhar as “directas” da próxima sexta-feira, Américo Natalino Viveiros assegurou que vai constituir um Governo Sombra, alegando ser “indispensável” que o PSD/Açores esteja organizado nestes termos.

    “Tem de ter gente que possa responder a apresentar as políticas do PSD nas diversas áreas da governação”, disse o candidato, ao adiantar que esse Governo Sombra deverá incluir independentes “disponíveis para participar com o projecto social-democrata”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.