Açoriano Oriental
"Não foram cumpridos requisitos previstos no caderno de encargos"
A secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, afirmou esta quinta-feira que a proposta do grupo Synergy para a compra da TAP foi rejeitada, porque não deu "as garantias adequadas".
article.title

Foto: Eduardo Resendes
Autor: Lusa/AO online

"Não foram cumpridos os requisitos previstos no caderno de encargos", explicou a governante, ressalvando que a proposta de German Efromovich era "positiva, coerente e alinhada com a estratégia do Governo".

Em conferência da imprensa, Maria Luís Albuquerque explicou que em cima da mesa estava um encaixe líquido para o Estado de 35 milhões de euros e a recapitalização da empresa superior a 300 milhões, em duas fases, a que acrescia a assunção de um passivo na ordem dos 1,5 mil milhões de euros.

Maria Luís Albuquerque adiantou que agora o Governo vai ponderar "uma estratégia para a venda da TAP, tendo em conta os compromissos internacionais", assumidos com a 'troika'.

"Não põe em causa o programa de privatizações do Governo", sublinhou.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.