Açoriano Oriental
Mota Amaral elogia permanência de Vasco Cordeiro no Comité das Regiões

O antigo presidente do Governo dos Açores Mota Amaral elogiou hoje o "apoio formal" do atual executivo do arquipélago à permanência do líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, no Comité das Regiões, a que presidirá em 2022.

Mota Amaral elogia permanência de Vasco Cordeiro no Comité das Regiões

Autor: AO Online/ Lusa

"Vamos pois ter quatro anos de diálogo permanente, dentro e fora do parlamento regional, porque já foi dito, e muito bem, que o novo Governo [Regional] quer manter pontes com a oposição e também, naturalmente, com as múltiplas instituições representativas dos vários sectores da sociedade civil. Um primeiro sinal, que se saúda, é o apoio formal à permanência do antigo presidente do Governo e atual líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, como membro" do Comité das Regiões, escreve hoje Mota Amaral em artigo publicado na imprensa açoriana.

Para o social-democrata, "assim se comprova que o novo Governo e os partidos seus apoiantes, não actuam por «ódio ao PS», como chegou a ser, com infelicidade, alegado, mas sim visando os superiores interesses dos Açores".

Vasco Cordeiro foi eleito em fevereiro primeiro vice-presidente do Comité das Regiões, num acordo entre as famílias políticas europeias que o levará a presidir à entidade no futuro.

Mesmo abandonando a presidência do executivo açoriano, mas mantendo-se como deputado, na sequência das eleições legislativas regionais de outubro, o socialista vai ser indicado pelo Governo português, a par do novo presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro (PSD), para se manter como membro efetivo do Comité das Regiões.

O comité, criado em 1994 na sequência da assinatura do Tratado de Maastricht, é a assembleia da União Europeia dos representantes regionais e locais dos 27 Estados-membros.

A Comissão Europeia, o Conselho Europeu e o Parlamento Europeu têm de consultar o Comité das Regiões quando elaboram textos legislativos sobre matérias em que as autoridades regionais e locais têm uma palavra a dizer.

Em causa estão áreas como o emprego, política social, coesão económica, transportes, energia ou mudanças climáticas.

A discussão e votação do programa do XIII Governo dos Açores, que tomou posse na terça-feira, vai acontecer entre 09 e 11 de dezembro na cidade da Horta, na ilha do Faial.

O novo Governo Regional dos Açores, liderado por José Manuel Bolieiro, tomou posse recentemente perante a Assembleia Legislativa da região e resulta de uma coligação PSD/CDS/PPM.

O líder do CDS na região, Artur Lima, é o vice-presidente do novo executivo.

O PS perdeu em outubro a maioria absoluta que detinha há 20 anos nos Açores, elegendo 25 deputados para o parlamento regional.

PSD, CDS-PP e PPM, que juntos representam 26 deputados, assinaram um acordo de governação. A coligação assinou ainda um acordo de incidência parlamentar com o Chega e o PSD um acordo de incidência parlamentar com o Iniciativa Liberal (IL), somando assim o número suficiente de deputados para atingir uma maioria absoluta.




PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.