Época balnear

Morreram 16 pessoas nas praias portuguesas desde Junho

Morreram 16 pessoas nas praias portuguesas desde Junho

 

Lusa/AO online   Nacional   1 de Set de 2008, 11:35

   Dezasseis pessoas morreram nas praias portuguesas desde o início da época balnear, a 1 de Junho, mais seis do que em igual período do ano passado, segundo um balanço divulgado pela Marinha.
Das 16 mortes, seis ocorreram em praias vigiadas, sete em praias não vigiadas e as restantes três em praias fluviais sem vigilância.

    No ano passado e em igual período, a Marinha registou três mortes em praias vigiadas e sete casos mortais nas praias que não têm vigilância.

    Este ano, a grande maioria dos acidentes ocorreu com homens, registando-se apenas a morte de uma mulher, em Junho numa praia não vigiada de Cascais e por afogamento.

    De acordo com o balanço da Marinha, a maior parte das mortes nas praias resulta de situações de afogamento.

    Entre os acidentes mortais nas zonas balneares vigiadas este ano, todos envolvendo homens, três deles foram por doença súbita e os outros três por afogamento.

    No que diz respeito às praias marítimas sem vigilância, morreram seis pessoas por afogamento e uma por doença súbita.

    Nas praias fluviais, três jovens, com idades entre os 15 e os 18 anos, morreram por afogamento.

    Entre 1 de Junho e 31 de Agosto foram feitas 523 operações de salvamento nas praias e 1007 acções de primeiros socorros.

    De acordo com o balanço do Instituto de Socorros a Náufragos feito em Outubro do ano passado, morreram nas praias portuguesas 13 pessoas durante toda a época balnear passada (quatro meses).

    A época balnear termina a 30 de Setembro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.