Mineiros espanhóis cortam linhas de comboio e estrada em protesto


 

Lusa / AO online   Internacional   26 de Set de 2007, 12:59

Trabalhadores da mina de La Camocha, nos arredores Gijón (norte), interromperam hoje o tráfego ferroviário e rodoviário na AS-1, próximo de Veriña, no âmbito de protestos que duram há dez dias.

Os mineiros querem um plano laboral e salários em atraso, devido ao encerramento antecipado da mina, previsto no final do ano, tendo os sindicatos anunciado uma radicalização dos protestos em meados deste mês.

Estão ainda em solidariedade com oito sindicalistas que se fecharam numa galeria a 560 metros de profundidade, há dez dias, exigindo uma solução para o seu caso, incluindo salários em atraso, pré-reformas e recolocações após o encerramento.

Com barricadas incendiadas, os trabalhadores obrigaram ao corte da ligação ferroviária na zona e da ligação rodoviária entre Gijón e Mieres.

O protesto foi retomado depois de uma reunião entre sindicatos, empresa e governo, em Madrid, ter terminado às 04:00 (03:00 em Lisboa), sem qualquer acordo.

A empresa alega falta de liquidez para regularizar a situação dos trabalhadores por ainda não ter recebido os subsídios de carvão correspondentes a este ano.

As autoridades planeiam encerrar a mina a 31 de Dezembro, transformando a zona num parque empresarial, num investimento que criará entre 300 e 500 empregos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.