França

Milhares de manifestantes contra reforma de regimes de aposentação


 

Lusa / AO online   Internacional   14 de Nov de 2007, 15:14

Milhares de manifestantes protestaram em Paris e em várias outras cidades francesas contra a reforma dos regimes especiais de aposentação defendida pelo Presidente Nicolas Sarkozy, quando estão paralisados por greves os transportes do país.
Na capital, muitos dos manifestantes marcharam entre as estações de Montparnasse e Austerlitz, acompanhados por camionetas azuis com os logotipos da empresa pública Electricidade de França (EDF).

Alguns dos participantes nos protestos vestiam t-shirts com a inscrição “Público-Privado: Salvemos as Aposentações”. Um deles foi mais longe, exibindo um cartaz em que se lia: “Sarkozy é uma ferida na Política Social”.

Os estudantes, que também se insurgem contra a reforma das universidades, aderiram aos desfiles.

Em Marselha (sudeste), milhares de ferroviários e trabalhadores dos sectores da electricidade e do gás brandiram faixas com as frases “Os Regimes Especiais não são Privilégios” e “O Fim dos Regimes Especiais é uma Machadada nas Aposentações”.

Em Rennes (oeste), os estudantes também se solidarizaram com os trabalhadores do sector da electricidade e do gás, bem como com os ferroviários, num cortejo com cerca de 2.500 pessoas, de acordo com o sindicato CGT.

Dissolvida a manifestação, os estudantes continuaram a protestar exigindo a libertação de dois colegas detidos na terça-feira por causarem distúrbios.

Em Toulouse (sudoeste), entre 2.700 pessoas, segundo a polícia, e 5.000, em contagem dos organizadores, agitaram faixas dizendo “Os Ferroviários Lutam pelas Aposentações”, ou “Sim ao Serviço Público e ao Emprego”.

Finalmente, em Bordéus (sudoeste), de 1.600 ferroviários, em contagem da polícia, a 2.800, segundo a CGT, apoiados por estudantes, anunciaram a continuação da greve na quinta-feira.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.