Jogos Olímpicos

Marco Freitas entra para a história do ténis de mesa português


 

Lusa/AO online   Outras modalidades   19 de Ago de 2008, 10:50

Marcos Freitas entrou esta terça-feira para a história do ténis de mesa português, ao tornar-se o primeiro jogador nacional a passar uma ronda nos Jogos Olímpicos, com a vitória por 4-1 sobre o egípcio Lashin El-Sayed.
    Após ter começado o jogo com o africano a perder, por 10-12, o madeirense venceu quatro “sets” seguidos (11-4, 11-8, 11-8 e 11-6), ganhou o jogo ao cabo de 36 minutos e conquistou o direito de na terça-feira defrontar Yang Zi, de Singapura, às 14:00 (07:00 em Lisboa).

    “Joguei bem e ganhei. Já lhe tinha ganho na China”, disse Marco Freitas, frisando que, apesar de estar atrás de si no “ranking” mundial, Lashin El-Sayed é “muito bom, é um dos melhores jogadores africanos, e faz muitas provas internacionais, porque tem muitos apoios”.

    Marco Freitas, que é o número 86 do Mundo, derrotou no remodelado Ginásio da Universidade de Pequim um jogador situado à roda do 110º lugar, mas agora tem pela frente um asiático que ocupa uma posição na casa dos 30 primeiros.

    “É muito forte. Portugal nunca teve um jogador deste nível, mas já ganhei a jogadores melhores que ele. Estes jogos são os mais fáceis de encarar, porque não temos responsabilidade nenhuma”, disse Freitas, que espera estar ao seu melhor nível para lutar pela qualificação para a terceira eliminatória.

    O chefe da equipa nacional de ténis de mesa, Ricardo Faria, considerou que o português fez “um grande jogo” frente a Lashin El-Sayed, com quem já se tinha batido no Campeonato do Mundo.

    “Teve alguma dificuldade na recepção do serviço, porque é esquerdino e o adversário servia de direita e escondia a bola com o corpo”, frisou. Após o primeiro “set”, Marco Freitas, que chegou a alertar o árbitro, e o técnico falaram e encontraram uma solução para o problema.

    Ricardo Faria destacou o espírito combativo e agressivo de Marco Freitas, mas considerou ser “muito difícil” a vitória no encontro de terça-feira com Yang Zi: “Vamos ver se amanhã consegue ganhar ao jogador de Singapura...”, rematou.

    Em Pequim2008, Portugal está representado pela primeira vez no torneio olímpico de ténis de mesa, tendo qualificado logo o número máximo de jogadores permitido para a competição de singulares masculinos.

    A jornada nacional começou com a derrota por 4-1 de Tiago Apolónia com o dominicano nascido na China Lin Ju (2-10, 13-11, 11-4, 11-5 e 12-10), prosseguiu com Marcos Freitas e fecha à noite, às 20:15 (13:15), com João Monteiro frente ao nigeriano Segun Toriola, que venceu o norte-americano David Zhuang na pré-eliminatória.

    Marco Freitas recebeu os parabéns do chefe da Missão portuguesa, Manuel Boa de Jesus, e do presidente do Comité Olímpico de Portugal, Vicente Moura, um admirador do trabalho em curso no ténis de mesa português: “Não há só estes três jogadores que estão aqui, há mais”, sublinhou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.