Marcas de telemóveis, cerveja, café e bancos garantem que vão manter patrocínios aos festivais de música

Marcas de telemóveis, cerveja, café e bancos garantem que vão manter patrocínios aos festivais de música

 

lusa   Economia   31 de Out de 2009, 11:30

A música é para marcas de telemóveis, cerveja e café e até para um banco uma maneira de se aproximarem dos consumidores, efectivos e potenciais, justificação suficiente para continuarem ano após ano a patrocinar festivais de Verão.

A TMN, a Super Bock, a Optimus, a Sagres e a Delta optaram, em alturas diferentes, por se associarem a eventos musicais tendo-se tornado 'main sponsors' (patrocinadores principais) dos mais importantes festivais de Verão. A aproximação aos clientes é a razão comum.

"Esta ligação [ao festival Sudoeste, que começou em 2005] permite à TMN impactar um número elevado de jovens, de diversas classes sociais, distintos gostos e estilos de vida, diferentes idades e proveniências geográficas, o que dificilmente acontece com outros meios", disse à Lusa fonte da operadora.

Também para a Super Bock, a proximidade aos consumidores é a maior razão para a ligação de 15 anos ao festival Super Rock.

"O retorno para a Unicer passa inequivocamente pela forma como nos relacionamos com o consumidor e pela relevância que se adquire através desse contacto", explicou à Lusa o administrador executivo da Unicer com o pelouro de marketing.

"A Super Bock é uma marca que vive da proximidade, pelo que tem de estar e comunicar com o consumidor onde quer que ele esteja", acrescentou Rui Freire.

A Super Bock, tal como as outras marcas, não mede o retorno apenas em termos de vendas, mas sim em aumento de notoriedade.

Foi precisamente um aumento da notoriedade que esteve na base da associação da marca de café Delta à música. Apesar da ligação ter apenas dois anos, os responsáveis já consideram ter um retorno "muito positivo".

"No nosso caso, é principalmente favorável ao nível da notoriedade, já que pretendemos comunicar para um 'target' mais jovem", referiu o administrador da Delta Cafés Rui Miguel Nabeiro.

De acordo com o responsável, um estudo realizado durante o festival demonstrou que "cem por cento das pessoas que vão ao Delta Tejo uma vez dizem que vão regressar na edição seguinte".

Além do retorno directo que obtém com produtos e serviços associados à música, a Optimus, "main sponsor" do festival Alive, aposta numa "aproximação emocional de forma sustentada para potenciar as vendas no médio e no longo prazo", adiantou o director de marketing da operadora de telemóveis, Hugo Figueiredo.

"Desta forma estamos mais próximos dos nossos clientes, ocupando um lugar cada vez mais relevante nas suas mentes", disse, admitindo que na Optimus, o investimento na área da música representa cerca de 20 por cento do orçamento total de marketing.

Todas estas marcas asseguraram querer continuar a ser "main sponsor" dos mesmos festivais de Verão, e mantêm o apoio a uma série de outras iniciativas da área da música, realizadas ao longo do ano.

A TMN continuará a patrocinar o Sudoeste, a Super Bock o festival Super Rock, o Millenium BCP o Rock in Rio, a Delta o Delta Tejo e a Optimus o Alive.

Mesmo quem não é ainda patrocinador principal de um festival de música, não quer perder a oportunidade de se associar à área.

A Sagres "realiza mais de três mil eventos de música ao longo do ano em todo o país" e, de acordo com o responsável pelo marketing de cervejas da Sociedade Central de Cervejas, Glauco Ferreira, vai reforçar a aposta no próximo ano.

"Em 2010 vamos surpreender na área da música em termos de projectos e patrocínio, pois além do histórico da marca Sagres nos eventos, temos agora a experiência internacional da Heineken, que é conhecida por ser uma empresa inovadora no território musical", disse.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.