Açoriano Oriental
Covid-19
Maioria PS inviabiliza audição da secretária da Saúde dos Açores

A maioria socialista inviabilizou, esta segunda-feira, a audição da secretária da Saúde no parlamento regional na sequência de um requerimento do PPM sobre o caso do avião privado chinês que aterrou em Ponta Delgada em 01 de fevereiro.

article.title

Foto: PS/A
Autor: Lusa/AO Online

A informação foi avançada à agência Lusa pela presidente da Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais, a deputada socialista Renata Botelho.

De acordo com a parlamentar, o requerimento apresentado pelo PPM a solicitar a audição urgente na Comissão de Assuntos Sociais da Secretária Regional da Saúde para esclarecimento cabal da atuação das entidades regionais no âmbito da falsificação de informação e possível favorecimento no caso do avião privado chinês que aterrou em Ponta Delgada, no dia 01 de fevereiro contou com "os votos contra do PS e os votos favoráveis do PSD, CDS-PP e PPM".

O PPM solicitou também a audição, em sede de comissão parlamentar, da secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, que será votada hoje à tarde, e do coordenador do Gabinete de Apoio à Comunicação Social do executivo açoriano, que será deliberada na quarta-feira.

"A audição de todos estes responsáveis tem como propósito o esclarecimento cabal referente à atuação das entidades regionais referenciadas no âmbito da falsificação de informação e possível favorecimento no caso do avião privado chinês que aterrou em Ponta Delgada, nos Açores, no dia 01 de fevereiro [sábado]", justificou o PPM.

Para os deputados do PS, "as duas notas que saíram do Gabinete de Apoio à Comunicação Social foram esclarecedoras, tendo a situação da data ficado bem esclarecida e mostrado que, os Açores, foram mais além do que aquilo que o próprio país, à data, preconizava para esta situação", tendo por isso votado contra.

O deputado do PPM, Paulo Estêvão, que apresentou o requerimento, lamentou que "a maioria do PS esteja a impedir que os governantes possam estar na comissão para responderem às perguntas".

"O Governo mentiu na data da saída do voo. E o período de quarentena não foi cumprido", apontou o deputado, em declarações à Lusa, frisando que "há um conjunto de mentiras e de falsas informações que o executivo está a tentar esconder, por isso, não se submete a fiscalização do parlamento".

A deputada do CDS-PP/Açores, Catarina Cabeceiras justificou o voto favorável à iniciativa do PPM, considerando que "é importante perceber no âmbito deste episódio, de uma forma clara e esclarecedora, o que ocorreu" e "que medidas preventivas foram adotadas para garantir a saúde publica".

"A audição da secretária seria uma boa oportunidade para revelar o plano de contingência da região", acrescentou.

Já Mónica Seidi, deputada do PSD/Açores, sustentou que "foi um erro tremendo o PS ter inviabilizado a audição" da secretária regional da Saúde.

"Atendendo às questões levantadas em sede de comissão e, para um esclarecimento transparente aos açorianos, a secretária deveria ser ouvida. E não viria mal ao mundo se a secretária viesse prestar esclarecimentos", sublinhou à Lusa.

Em 03 de fevereiro, a secretária regional da Saúde, Maria Teresa Luciano, manifestou-se “tranquila” com os procedimentos adotados na sequência do caso do avião privado chinês que aterrou em Ponta Delgada.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.