Madeira recebeu oito milhões em dívida há dois anos

Madeira recebeu  oito milhões  em dívida há dois anos

 

Lusa/AO Online   Nacional   22 de Dez de 2008, 16:12

 A empresa Investimentos Habitacionais da Madeira concretizou hoje o acordo com o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana que permite receber a comparticipação nacional de oito milhões de euros em dívida há dois anos.

 Paulo Atouguia, responsável pala IHM salientou que o atraso neste pagamento representou um "esforço financeiro acrescido, significativo" para a empresa madeirense.

    "Agora é finalmente possível receber os apoios nacionais a que tínhamos direito desde o primeiro momento", disse, acrescentando que "se fosse mais cedo teria sido possível avançar mais em outras empreitadas que estão a ser desenvolvidas".

    Esta verba serve para pagamento de contratos de comparticipação e financiamento aos empreendimentos de arrendamento social em vários concelhos da Madeira.

    "Estes acordos têm a ver com empreendimentos construídos por nós ou adquiridos os fogos no mercado para realojamento, cerca de 250 nos últimos dois anos, que estão a ser habitados, o que significa que ou estamos a suportar os juros da empreitada ou estamos a arrendar os fogos a quem os vamos adquirir porque as comparticipações estavam atrasadas", explicou.

    Paulo Atouguia falava no Funchal, no âmbito da cerimónia de assinatura de mais 34 contratos ao abrigo do Programa de Recuperação de Imóveis Degradados (PRID), em vigor na Madeira desde 1980, que já apoiou mais de 3770 famílias carenciadas de vários concelhos do arquipélago na recuperação das casas onde actualmente vivem.

    Este ano abrangeu 172 agregados familiares, o que representou um investimento total de 463 mil euros.

    Paulo Atouguia admitiu que "gasto tanto dinheiro e desenvolvidos tantos apoios ainda existem situações que há necessidade de apoiar e suportar as famílias para que possam ter solução habitacional condigna" nesta região.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.