Europeias

Líder do PSD/Açores reitera querer lugar elegível na lista nacional

Líder do PSD/Açores reitera querer lugar elegível na lista nacional

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Fev de 2019, 15:22

O líder do PSD/Açores considerou, esta segunda-feira, que um “bom lugar” para a estrutura regional do partido é ter um candidato indicado pelos Açores em lugar elegível na lista nacional para as eleições europeias de maio.

Remetendo uma posição mais concreta sobre esta matéria para a Comissão Política Regional do PSD/Açores agendada para sexta-feira na cidade da Horta, na ilha do Faial, Alexandre Gaudêncio, confrontado com as recentes declarações do presidente do partido, Rui Rio, afirmou que estas “não deixam de ser extremamente importantes” porque são “sinónimo da reputação nacional” de Mota Amaral.

Alexandre Gaudêncio falava aos jornalistas após uma reunião com o conselho de administração da Unidade de Saúde da Ilha de São Miguel.

O líder do PSD manifestou na segunda-feira “um grande respeito” pelo antigo presidente da Assembleia da República, mas escusou comprometer-se com nomes da lista para as europeias, apenas garantindo que os irá apresentar “até final de fevereiro”.

Em entrevista ao 'podcast' "Perguntar Não Ofende", do comentador Daniel Oliveira, gravada ao vivo no Teatro São Luiz, em Lisboa, Rui Rio foi questionado por uma pessoa da assistência se iria respeitar a indicação do PSD/Açores e colocar o antigo presidente do Governo Regional dos Açores, em lugar elegível na lista para o Parlamento Europeu.

“Compreendo a indicação do PSD/Açores, agora vou ter de fazer uma série de equilíbrios, que não são fáceis (…). O doutor Mota Amaral tem de estar em lugar elegível? Muito mais do que isso, por isso também não é fácil”, afirmou, admitindo “ter na cabeça”, mas ainda não fechada, a lista do partido para as europeias de 26 de maio.

Para Alexandre Gaudêncio, as declarações de Rui Rio constituem uma “excelente forma de reconhecer que o PSD/Açores tem quadros de mérito que merecem a atenção do partido”.

Na semana passada, a comissão política regional do PSD/Açores indicou Mota Amaral como candidato pela região às europeias de maio, segundo adiantou à agência Lusa fonte dos sociais-democratas açorianos.

"Compete agora ao doutor Rui Rio tomar uma decisão sobre a posição em que o doutor Mota Amaral irá na lista eleitoral", prosseguiu a mesma fonte.

O "prestígio" de Mota Amaral, inclusive a "nível nacional", a sua "capacidade negocial", numa altura de discussão comunitária sobre o próximo quadro de apoio, e o seu papel como impulsionador do conceito de regiões periféricas são alguns dos argumentos para o PSD/Açores indicar o social-democrata às europeias.

Nas europeias de 2014, a candidata do PSD pelos Açores, Sofia Ribeiro, ficou em terceiro lugar na lista nacional dos sociais-democratas, então encabeçada por Paulo Rangel.

Sofia Ribeiro apoiou Pedro Nascimento Cabral na disputa no ano passado pela liderança do PSD/Açores, tendo este perdido para Alexandre Gaudêncio, atual líder do partido na região.

Posteriormente, a ainda eurodeputada anunciou que não estaria disponível para um eventual novo mandato no hemiciclo europeu.

Mota Amaral, de 75 anos, demonstrou recentemente confiança na direção de Rui Rio, tendo marcado presença no Conselho Nacional do PSD que decorreu há duas semanas, no Porto.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.