Espanha/Eleições

Jornais espanhóis destacam vitória do PSOE e fracasso do PP

Jornais espanhóis destacam vitória do PSOE e fracasso do PP

 

Lusa/AO Online   Internacional   29 de Abr de 2019, 09:21

A vitória do PSOE (socialista) de Pedro Sánchez em Espanha e o fracasso do PP (direita) dominam as primeiras páginas dos jornais espanhóis, que também sublinham que os socialistas vão precisar de chegar a acordos.

“Sánchez vence, mas necessitará de chegar a acordos e o PP [Partido Popular, direita] sofre um desaire”, titula o El País, que recorda que “os socialistas voltam a ganhar as eleições depois de 11 anos” em que foram o segundo partido mais votado no parlamento.

Nas eleições gerais realizadas no domingo o PSOE elegeu 123 deputados (28,68% dos votos), o PP 66 (16,70%), o Cidadãos (direita liberal) 57 (15,86%), o Unidas Podemos (extrema-esquerda) 42 (14,31%) e o Vox 24 (10,26%).

O El País também dá conta de que “Os populares assumem o seu colapso responsabilizando a divisão da direita” e que o “Cidadãos aumenta o número de lugares, apesar de [o seu líder Albert] Rivera não conseguir superar o PP”.

Por seu lado, o ABC avança que “A vitória de Sánchez pressiona Rivera”, explicando que “O êxito do Cidadãos e o desaire do PP permitem-lhe disputar com [o líder dos populares Pablo] Casado a liderança do centro-direita”.

O jornal também destaca que “Só um pacto do PSOE com o Cidadãos pode evitar uma aliança de Sánchez com o Podemos e o independentismo” e que o “Vox defrauda as suas expectativas, mas coloca o PP no abismo: cede a maioria absoluta no Senado ao PSOE”.

Nas eleições de domingo também foram eleitos os membros do Senado, a câmara alta das Cortes Gerais espanholas, onde o PSOE, com 121 lugares, substituiu a maioria absoluta do PP, que agora tem 56 lugares.

A primeira página do El Mundo sublinha que “Sánchez está à beira de governar sem separatistas perante o desaire do PP” e ainda que o “PSOE logra mobilizar a esquerda e consegue 123 lugares que, com o Podemos e o PNV [nacionalistas bascos] o aproximam da investidura”.

O jornal também afirma que “Casado colapsa para 66 deputados, perde metade do seu eleitorado e abre uma crise com um final incerto” e que Albert Rivera, do Cidadãos, “cresce até ficar apenas a 200.000 votos do PP e prepara o assalto à liderança da direita.

Por seu lado, o “Vox defrauda as expectativas e consegue apenas 24 deputados ao preço de dividir a direita e agitar a esquerda”, enquanto a “ERC [socialistas catalães] dispara na Catalunha, o PNV sobe e o Bildu [esquerda independentista basca] consegue quatro deputados no País Basco, onde o PP desaparece”.

Finalmente, La Razón realça que “A divisão da direita afunda o PP e dá o Governo a Sánchez”, explicando que “O PSOE sobe 38 lugares, mas terá de chegar a acordo com o Podemos e os independentistas, ou com o Cidadãos”, se este partido não cumprir a promessa de vetar os socialistas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.