Médio Oriente

Israel atacou 1500 alvos em Gaza durante oito dias de ofensiva militar

Israel atacou 1500 alvos em Gaza durante oito dias de ofensiva militar

 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Nov de 2012, 08:51

Israel atacou 1500 alvos durante os oito dias da operação militar "Pilar de Defesa" na Faixa de Gaza e foram lançados 1506 "rockets" a partir de território palestiniano contra solo israelita, indicou o exército de Israel.

Antes da entrada em vigor, na quarta-feira à noite, do cessar-fogo que pôs fim às hostilidades na Faixa de Gaza, o exército israelita bombardeou "1500 alvos terroristas, incluindo 19 centros de comando centrais, centros de comando operativo e sedes de altos quadros do Hamas", diz num comunicado, citado pela agência noticiosa espanhola Efe.

Além disso, Israel indicou ter matado 30 altos dirigentes do Hamas, no poder na Faixa de Gaza, entre os quais Ahmed Yabari, chefe do braço armado do movimento islâmico.

O exército israelita garante ainda ter destruído centenas de locais subterrâneos usados para o lançamento de mísseis, 206 túneis utilizados por terroristas, dezenas de bases operativas do Hamas, 26 fábricas de armas e armazéns de munições, bem como dezenas de lançadores de mísseis de longo alcance.

No campo defensivo, o exército destacou o elevado grau de sucesso do seu sistema antimísseis "Iron Dome", que teve uma taxa de execução de 85%, ao alcançar 421 mísseis disparados contra território israelita.

O dia em que o maior número de mísseis caiu sobre solo israelita (316) foi na última quinta-feira, 24 horas depois do arranque da ofensiva com a morte do líder do braço armado do Hamas, Ahmad Yabari.

O exército segue muito de perto os mais recentes desenvolvimentos na zona e as suas forças permanecem em alerta perante a possibilidade de ocorreram violações da trégua acordada.

Prevê-se, contudo, que dezenas de milhares de soldados estacionados na fronteira com a Faixa de Gaza recuem gradualmente, informou a rádio pública israelita.

A mais recente escalada de violência no âmbito do conflito israelo-palestiniano causou 167 mortos, 162 dos quais palestinianos, bem como mais de 1.500 feridos, incluindo meia centena de israelitas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.