Investimento em investigação e desenvolvimento cai em Portugal

Investimento em investigação e desenvolvimento cai em Portugal

 

Lusa/AO online   Economia   18 de Nov de 2013, 11:23

As empresas europeias de topo aumentaram, em média, em 6,3% o investimento em investigação e desenvolvimento (I&D) no ano passado, mas em Portugal a tendência foi inversa, revela o painel de avaliação de 2013 da Comissão Europeia.

 

De acordo com os dados hoje divulgados pelo executivo comunitário, referentes a 2012, entre as 1.000 empresas com sede na União Europeia que mais investiram em I&D, contam-se cinco portuguesas, a melhor colocada das quais foi a Portugal Telecom, na 142.º posição, com um investimento de 167 milhões de euros, valor que, no entanto, representou uma queda de 23,7% relativamente ao ano anterior, quando havia registado um crescimento de 9,5%, para os 219 milhões de euros, que lhe valera o 97.º lugar.

Seguem-se a farmacêutica Bial, no 307.º posto, com um investimento de 59,1 milhões de euros (+2,8% que em 2011), a Caixa Geral de Depósitos, no 367º lugar do 'ranking' de 1.000 empresas da UE, com 42,3 milhões de euros (-22,9% que no ano anterior), a Energias de Portugal, no 445.º posto, com 31,7 milhões de euros (o que representa um recuo no investimento de 51,6% e uma queda de 175 lugares no 'ranking') e, por fim, a empresa informática Novabase, no 776.º, com um investimento de 10,1 milhões de euros (+5,9%).

A nível global, no entanto, registou-se em 2012 um reforço do investimento em I&D em empresas com sede na UE (as 527 que constam do top 2000 a nível mundial) na ordem dos 6,3% face ao ano anterior, muito face ao contributo das taxas de crescimento nas empresas alemãs, nomeadamente no setor automóvel, reconhece o executivo comunitário.

Bruxelas assinala, aliás, que, pela primeira vez desde 2004, uma empresa da UE, o fabricante alemão de automóveis Volkswagen, é o maior investidor em I&D do setor privado a nível mundial, com um investimento de 9,5 mil milhões de euros.

Todavia, a VW é a única empresa da UE no top-10, pois no segundo lugar surge a Samsung Electronics, da Coreia do Sul, com um investimento de 8,3 mil milhões de euros, e as outras empresas no grupo das dez mais bem classificadas incluem cinco com sede nos Estados Unidos (Microsoft, Intel, Merck, Johnson & Johnson e Pfizer), duas na Suíça (Roche e Novartis) e uma no Japão (Toyota).

“A UE está ainda atrás dos seus principais concorrentes no investimento das empresas em I&D e há alguns sinais preocupantes nestes últimos relatórios. Não obstante os resultados positivos das principais empresas da UE em setores industriais importantes, como a indústria automóvel, estamos ainda demasiado fracos nos setores de alta tecnologia, como a biotecnologia e o software”, comentou a comissária europeia para a Investigação, a Inovação e a Ciência, Máire Geoghegan-Quinn.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.