Impulso Jovem abrangeu mais de 60 mil até setembro, diz Governo


 

Lusa/AO Online   Economia   8 de Out de 2013, 09:18

O programa de promoção da empregabilidade Impulso Jovem abrangeu até setembro mais de 60 mil jovens, 13 mil dos quais através de estágios profissionais, que deram emprego a 8.300 jovens, divulgou o Ministério da Solidariedade.

 

"Graças a um reforço na execução 60.142 pessoas já estiveram integradas na Medida Impulso Jovem", diz um comunicado do Ministério da Solidariedade, do Emprego e da Segurança social.

De acordo com o balanço do governo, cerca 13 mil jovens estiveram integrados em estágios profissionais com o objetivo de "favorecer a integração no mercado de trabalho".

"A taxa média de empregabilidade é de 64%, pelo que cerca de 8.300 jovens terão concretizado a integração no mercado de trabalho, após o estágio", refere o documento.

Cerca de 3.400 jovens foram ainda admitidos no mercado de trabalho devido às medidas de apoio à contratação do Impulso Jovem.

"Para assegurar o sucesso destas medidas o Governo acautelou a verba de 215M€, enquanto investimento já comprometido para a prioridade do combate ao desemprego Jovem", diz o mesmo comunicado.

O Governo apresentou em junho a reformulação do programa "Impulso Jovem", com o objetivo de o simplificar e alargar a mais jovens portugueses.

O programa apoia a empregabilidade dos jovens através dos Estágios Emprego; com a diminuição dos custos associados à contratação de jovens, através do reembolso da taxa social única e do estímulo 2013; o apoio do empreendedorismo como uma via alternativa à vertente mais tradicional de trabalho por conta de outrem; e com o apoio da qualificação profissional dos jovens através da formação profissional.

O Conselho de Ministros aprovou no início de junho de 2012 o programa "Impulso Jovem", que envolve mais de 344 milhões de euros.

De acordo com o Eurostat, o desemprego jovem em Portugal recuou para os 36,8% em agosto, face aos 37,7% verificados em julho.

O número de desempregados com menos de 25 anos passou, assim, de 139 mil para 136 mil.

A taxa de desemprego em Portugal desceu ligeiramente em agosto face a julho, de 16,6% para 16,5%, mantendo-se como a quinta mais elevada da União Europeia, segundo os dados divulgados pelo Eurostat.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.